Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Candidatos ao governo do Pará pelo PCB e PRTB indeferidos pelo TRE-PA

O candidato a governador do Pará pelo PCB, Marco Antonio, e seu vice  foram indeferidos pelo TRE-PA, ontem, por ausência de comprovação de filiação partidária. É que seus nomes não estavam no registro da Justiça Eleitoral e nem conseguiram comprovar por outras formas possíveis que houve a filiação a tempo, até dia 05/10/2013 – um ano antes do pleito eleitoral -, como permite a Súmula 20 do TSE, apesar de devidamente intimados. 

Já o candidato ao governo do Pará Elton Braga(PRTB) teve sua chapa indeferida porque o seu candidato a vice não juntou todos os documentos necessários. 

O recandidato governador Simão Jatene(PSDB) teve sua candidatura deferida, assim como o seu candidato a vice. Os documentos que faltavam foram juntados a tempo. 

Os candidatos ao governo Helder Barbalho(PMDB) e Zé Carlos Lima(PV) e seus respectivos vices tiveram seus registros deferidos pela Justiça Eleitoral no decorrer da semana, em decisões monocráticas, já que não sofreram qualquer impugnação.


Todos os indeferidos podem recorrer ao TSE para tentar reverter as decisões. Porém, o Procurador Regional Eleitoral Alan Mansur – responsável pelas impugnações e pela fundamentação legal que já tinha sido adiantada aqui no blog como irretorquível – adverte que o TSE já tem entendimento pacífico no sentido de que:


Não é permitida, na fase recursal, a juntada de documentos ao pedido de registro de candidatura se houve a regular – e desatendida – intimação do candidato para cumprir diligência nesse sentido, sendo inaplicável, nessa hipótese, a Súmula 3 do TSE.” (AgR-REspe – Agravo Regimento em Recurso Especial Eleitoral n° 21495-Magé/RJ. Acórdão de 28/02.2013, Relatora Min. Laurita Hilário Vaz).


Portanto, é o caso das necessárias substituições. Com a chance das reflexões de dirigentes e militantes quanto aos nomes a serem lançados.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *