A empresa de ônibus Belém-Rio, que faz a linha para o distrito de Outeiro – Ilha de Caratateua, em Belém, aparentemente está falida e reduziu pela metade a sua frota, causando enorme sofrimento aos usuários do transporte coletivo. O serviço,…

A Cosanpa abriu nada menos que seiscentos buracos imensos nos bairros mais movimentados de Belém, infernizando a vida de todo mundo com engarrafamentos e causando graves riscos de acidentes, principalmente porque chove sempre, e quando as ruas alagam os buracos…

O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Marcela Tolentino e Úrsula Vidal indeferidas. Luiz Rebelo renuncia.

O deputado estadual Luiz Rebelo(PP), ex-prefeito de Breves, que tem contas rejeitadas pelo TCU e cujo pedido de registro foi impugnado pelo Procurador Regional Eleitoral Alan Mansur, renunciou à tentativa de reeleição, diante da inviabilidade de sua candidatura

Por sua vez, a candidatura da jornalista Úrsula Vidal(PPS) a deputada estadual foi indeferida, porque ela só providenciou sua quitação eleitoral após o seu pedido de registro, no dia 05 de julho deste ano, em contrariedade à jurisprudência do TSE. 

Marcela Gusmão Tolentino(SDD) e suas duas suplentes da candidatura ao Senado também tiveram a chapa indeferida pelo TRE-PA na sessão de ontem. O problema é que as suplentes estavam irregulares junto à Justiça Eleitoral. Uma renunciou e outra não juntou os documentos necessários. O partido ainda pode substituir as suplentes e assim viabilizar Marcela. 

Gibson da Silveira Pontes(PHS), candidato a deputado federal impugnado pelo Ministério Público Eleitoral por ter sido demitido do serviço público estadual, é outro com candidatura indeferida pelo TRE-PA. 

O procurador da República Alan Mansur analisa o boom de indeferimentos pelo Tribunal Regional Eleitoral:

Nestes dias de julgamentos pelo TRE percebeu-se que a maioria dos casos de indeferimento de registros de candidatura é por ausência de documentos, como certidões de antecedentes criminais da Justiça Estadual ou Federal, falta de desincompatibilização do serviço público no prazo correto e falta de pagamento da quitação eleitoral até o dia 05 de julho.
Neste sentido, a Procuradoria Eleitoral e o TRE vêm sendo rigorosos nesta análise, para impedir que qualquer pessoa se candidate em descumprimento à legislação. A falta da juntada de um documento de antecedentes criminais, por exemplo, pode impedir a análise da inelegibilidade do candidato e também impedir que os eleitores tenham acesso a todos os processos a que respondem os candidatos, já que os documentos ficam à disposição através do sistema Divulga Cand: http://www.tse.jus.br/eleicoes/eleicoes-2014/sistema-de-divulgacao-de-candidaturas
“.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *