1

O prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, vai inaugurar na terça-feira, 6, a partir das 10h, o Teatro Popular Nazareno Tourinho, no bairro da Cidade Velha, em um prédio que estava abandonado há anos, conhecido como “Casa Amarela”, que estava sem uso e passou por revitalização. Para marcar o evento, será feita leitura dramática da peça inédita do homenageado, “Ângela do Céo Perdida na Terra”, apresentada pelos artistas Ângela do Céo e Fernando Matos, além da exposição “I´de – Nasã, O Povo das Águas”, do acervo do Museu de Arte de Belém (Mabe).

O novo teatro vai funcionar como centro de artes e cultura, para ser usufruído pela população como mais um local de propagação da arte. Toda a programação ali oferecida será gratuita e o teatro vai fomentar, através de editais, o trabalho de artistas locais em um espaço versátil e que tem a possibilidade de abrigar tanto peças teatrais quanto exposições e manifestações culturais. A data escolhida para a inauguração do teatro popular remete à data de nascimento do teatrólogo Nazareno Tourinho, que neste ano completaria 88 anos de idade.

Nazareno Tourinho foi um premiado dramaturgo, jornalista profissional e escritor, um dos mais destacados intelectuais do Pará, membro da Academia Paraense de Letras, e teve quase trinta obras publicadas, inclusive em outros idiomas. Suas abordagens temáticas destacavam a relação do homem com a cidade e as diferenças sociais. Era um ser iluminado. Tinha o bordão “Temos que plantar a árvore da justiça social. A semente é a verdade; a árvore é a justiça e os frutos são o amor.” Foi um dos fundadores da Associação Brasileira de Jornalistas e Escritores Espíritas, seu primeiro diretor para a região Norte e depois conselheiro. Fundou e orientou, em Belém do Pará, a Casa Espírita de Allan Kardec. Distribuiu café da manhã e sopão aos pobres durante mais de 25 anos. Humanista, detentor de uma visão livre e comprometido com a libertação de homens e mulheres do jugo da exploração e da opressão, ele deu em vida exemplo de desprendimento e de solidariedade ao abrir mão dos direitos autorais de quase todas as suas obras em prol de causas sociais e populares. Nazareno deixou artigos inéditos sobre o Espiritismo para publicação.

Conforme a Seurb, o valor da revitalização, R$ 98.699,70, foi aplicado na pintura interna e externa da edificação, além da troca da iluminação e da fiação elétrica.

“A manutenção preventiva possui uma característica muito importante, que é salvaguardar o prédio para as manutenções que vamos fazer no futuro. Quer sejam elas em relação à exposição de artes visuais ou exposições cênicas, que vão acontecer no segundo andar”, detalha o presidente da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), Michel Pinho.

“O espaço fica localizado na Cidade Velha, na praça do Carmo, bem no coração do patrimônio histórico da cidade. Então, tem uma importância ímpar no valor da história e na memória de Belém. O teatro passou por pinturas internas e externas, mantendo suas características atuais e uma revitalização em toda a sua parte de iluminação, para que as obras estejam contempladas e possam ser vistas pela sociedade da melhor forma’’, explica a coordenadora do Departamento de Patrimônio Histórico da Seurb, Débora Leite.

Domingos Antonio Raiol, o Barão de Guajará

Anterior

A internet como ferramenta de carreiras

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

1 Comentário

  1. A inauguração do Teatro, marca o resgate de um patrimônio em ruinas, testemunha da história e agrega valores a cultura, proporcionando o acesso ao cidadão comum ao mais novo espaço cultural de nossa cidade.
    Parabéns a esta iniciativa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *