O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Beijo na tribuna

                           

A polêmica promete muitas e variadas reações.

Um beijo na boca – o primeiro beijo gay em Casa legislativa brasileira – entre Paulo Lessa, presidente do Grupo
pela Livre Orientação Sexual, e seu parceiro, Erik Campelo, em plena tribuna da
Câmara Municipal de Belém, foi o ponto alto da audiência pública, ontem, de
iniciativa da vereadora Milene Lauande (PT) para debater a homofobia. Em reação
ao gesto inédito dos dois a plateia trocou beijos e abraços, em meio a efusivos
aplausos de todos os presentes na sessão.

Ao tradicional antagonismo
entre religiões e a comunidade gay, o contraponto de Dermi Azevedo, representante
do Conselho Nacional dos Direitos Humanos da Igreja Episcopal Anglicana do
Brasil, foi marcante: ele afirmou que estava ali para apoiar e não para criticar.
                                                                      
O desabafo da
transexual Bruna Lorrane, militante do Grupo Gretta, ao pregar o combate à cultura
da discriminação, ilustrou com o tratamento jocoso ou sarcástico de um delegado
de polícia a violência sofrida pelos que têm opções sexuais diferentes. “Quem me chama de ‘bichona’ ou de ‘veadinho’,
não está só manifestando sua opinião. Está tentando ferir, atingir a minha
dignidade como ser humano. Isto é crime
!”.
Samuel Sardinha,
coordenador de Proteção à Livre Orientação Sexual da Secretaria de Justiça, está
agendado com o delegado geral de Polícia Civil, Nilton Atayde, segunda-feira, para
verificar o andamento das investigações do assassinato da travesti Bianca
(Nazareno Caseiro Júnior da Silva), 35 anos, na madrugada de 16 de junho, na
travessa Barão do Triunfo, entre av. Almirante Barroso e João Paulo II, em Belém.
Quem diria que a tribuna da Câmara
Municipal de Belém, palco de tanta baixaria e propostas indecentes, iria servir
de cenário para uma manifestação assim? Aliás, só a vereadora Milene Lauande –
elogiada pela coragem de debater o tema às claras e de modo respeitoso – estava
presente à sessão. Ante a ausência dos demais vereadores, o protesto foi geral.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *