Hoje, dia 23 de julho de 2021 às 19h, o Instituto Histórico e Geográfico do Pará realizada a nona “Live em Memória” da programação alusiva aos 121 anos do Silogeu, desta vez em homenagem ao centenário de nascimento do Almirante…

A igreja de São Francisco de Assis em Belém do Pará, carinhosamente chamada pelos fiéis de "Capuchinhos", completará cem anos de sua inauguração em 02 de outubro de 2022. A abertura oficial das festividades será com um concerto na igreja…

O trânsito continua matando mais do que muitas guerras. A administradora Gina Barbosa Calzavara, coordenadora dos bosquinhos da Universidade Federal do Pará, fez uma emocionante homenagem à memória do jovem Jean Serique Lameira, esportista do ciclismo e que também usava…

O Laboratório de Engenharia Biológica do Parque de Ciência e Tecnologia - PCT Guamá está estudando o sequenciamento genético do açaí, de modo a assegurar a rastreabilidade de ponta a ponta na cadeia produtiva e padrões de qualidade para os…

Barbárie social

Mas o que há com as pessoas, que estão deixando de ser gente e se tornando seres bárbaros, desprovidos de dignidade, solidariedade, respeito? Matam no trânsito, matam por razões passionais, fazem ouvidos moucos face a crueldades, calam diante de desumanidades, fecham os olhos para a selvageria. Ontem, criaturas revistaram o cadáver de um homem executado em pleno centro comercial de Belém e levaram carteira, cordão, tênis e tudo o mais que lhes interessou, à vista de todos. Antigamente, ninguém praticava crime à luz do dia ou na presença de alguém, porque todos socorriam e impediam a ação. Agora, a inércia conivente estimula cada vez mais a violência. Que mundo é este, meu Deus?

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *