Barcos regionais a motor, veleiros, vigilengas, rabetas, bajaras, canoas ubás, igarités, catraias, botes fazem parte da memória afetiva, produtiva e econômica parauara, navegando pelo oceano Atlântico, baías, rios que mais parecem mares, lagos, igarapés, furos, estreitos, igapós e campos alagados…

Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Balatais da saudade

Abre na próxima terça-feira, dia 23, a partir das 16h, no campus da Ufopa em Monte Alegre (antiga escola Prof. Orlando Costa, na Av. Maj. Francisco Mariano, 284), a exposição “Balata: natureza e cultura de Monte Alegre”, ação do Programa de Extensão Patrimônio Cultural na Amazônia da Universidade Federal do Oeste do Pará e da Associação dos Balateiros da Calha Norte, destinada a dar visibilidade aos saberes e fazeres que envolvem a balata – látex da balateira (Manilkara bidentata) –, desde o extrativismo até a confecção de miniaturas de um artesanato reconhecido como Patrimônio Cultural do Estado do Pará pela Lei n° 8.073/2014. A mostra, aberta ao público em geral, reúne peças de artesanato e objetos de trabalho de antigos balateiros, além de painéis de textos e fotografias sobre a atividade, e vai até 25 de janeiro de 2018, organizada pela professora Luciana Carvalho. O catálogo está disponível aqui

Nativa da Amazônia, a balateira é árvore de grande porte, cujo tronco de madeira avermelhada, forte e resistente, chega a 40 metros de altura. O látex extraído dela é a matéria-prima para a confecção do tradicional artesanato com miniaturas representativas da fauna e dos tipos sociais da Amazônia. A programação inclui exibição do filme Balatais de Saudade. Também vai ter oficina de artesanato em balata, tudo gratuito. Aproveitem por fica só até a quinta-feira, dia 25.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *