Na terça-feira da semana passada (19), quando estava em votação no plenário da Assembleia Legislativa projeto de Indicação de autoria da deputada Professora Nilse Pinheiro transformando o Conselho Estadual de Educação em autarquia, detentora de autonomia deliberativa, financeira e administrativa,…

A desgraça sempre chega a galope, mas tudo o que é bom se arrasta indefinidamente no Brasil, o país dos contrastes e contradições, rico por natureza, com poucos bilionários e povo abaixo da linha da pobreza. Parece inacreditável, mas tramita…

O prefeito de Oriximiná, Delegado Willian Fonseca, foi reconduzido ao cargo pelo juiz titular da Vara Única daComarca local, Wallace Carneiro de Sousa, e literalmente voltou a tomar posse nos braços do povo. Era por volta do meio-dia, hoje (26),…

A equipe multidisciplinar do centro obstétrico da Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará, em Belém (PA), vivenciou uma experiência rara e emocionante: o parto empelicado. Imaginem um bebê nascendo dentro da placenta intacta, com os movimentos visíveis, praticamente ainda…

Azulejaria em Belém do Pará

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) lança amanhã, a partir das 18:30h, na sede da Representação Regional Norte do MinC (Av. Governador José Malcher, nº 474 – Nazaré), o livro Azulejaria em Belém do Pará – Inventário – Arquitetura civil e religiosa – Século XVII ao XX, contemplado na Categoria I iniciativas de excelência em técnicas de preservação e salvaguarda do Patrimônio Cultural da 29ª edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. Antes, às 15:30 hs, haverá a Mesa “Azulejaria em Belém do Pará”.
A obra sintetiza o banco de dados levantado por três gerações de servidores e profissionais do patrimônio cultural, sob a influência e orientação dos seus idealizadores e pioneiros, os arquitetos Pedro e Dora Alcântara, em 1971, e é resultado da pesquisa de Dora Alcântara, Stella Regina Soares de Brito e Thaís Sanjad. A publicação permite uma visão de conjunto sobre a evolução da azulejaria em Belém, e já teve pré-lançamento em julho (06), durante o Seminário Belém 400, na sede do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB), no Rio de Janeiro (RJ) e que agora o lança em Belém, promovendo também uma mesa, onde estarão presentes, além das autoras do edição, a recém empossada presidente do Iphan, Kátia Bogéa. 

Elaborado a partir da identificação de técnica de decoração dos azulejos, o livro também traz planilhas com tipologias dos padrões e guarnições, revelando a diversidade e padrões da azulejaria de Belém, que inclui peças dos séculos XVIII, XIX e XX, passando pelos períodos barroco, neoclássico, art nouveau, art déco e modernismo, até acervos contemporâneos dispostos em igrejas, palácios e residências. O acervo conta a história da cidade. 

Um grupo de pesquisadores do núcleo de pós-graduação em Ciência da Computação da Universidade Federal do Pará  desenvolveu o software Azulejar, que mapeou 20 pontos da cidade e apresenta dados sobre história, fabricante e origem, entre outros. Os textos foram elaborados pela professora Mariana Batista Sampaio, que contou com a ajuda do Iphan-PA. 

O aplicativo serve como guia em um circuito virtual em Belém, utilizando tecnologia de geo-referenciamento, como GPS, apontando aonde as obras de interesse estão e auxiliando a encontrar o local indicado. Uma vez localizada a obra de interesse, são utilizadas técnicas de reconhecimento de imagem para obter informações em tempo real da obra visualizada através da câmera do dispositivo móvel. 

O evento será transmitido ao vivo por hangout. Os interessados poderão ter acesso por aqui.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *