O catamarã Bom Jesus IV, que faz o trecho Belém-Ponta de Pedras, no arquipélago do Marajó, naufragou hoje por volta de 17h, em frente a Vila do Conde. O casco rachou, entrou água na embarcação, que adernou e começou logo…

O empresário e político Carlito Begot, ex-vice-prefeito de Ananindeua(PA), protagonizou cena chocante no condomínio Lago Azul, reduto de endinheirados, na noite do domingo passado, 23, em um píer destinado à pesca “pesque-e-solte”. Um grupo fisgou um pirarucu com cerca de…

A alteração da turbidez do rio Tapajós resulta de, ao menos, duas fontes sedimentares distintas: o rio Amazonas e a atividade garimpeira no médio e alto Tapajós, além de usos da terra que causam desmatamento e exposição do solo. Apenas…

A promotora de justiça Ângela Maria Balieiro Queiroz, pelo Ministério Público do Estado, e o procurador Patrick Bezerra, do Ministério Público de Contas do Pará, acompanharão a contratação da obra de reconstrução da ponte Enéas Pinheiro, que interliga os distritos…

Até quando?

A impunidade, a corrupção e a violência grassam na ilha de Caratateua – Outeiro, em plena região metropolitana de Belém.

Uma mulher conhecida por Ângela atua como aliciadora de menores na rua Margarida, no bairro da Brasília, sob as vistas grossas da polícia. Integrante de uma rede de exploração sexual de crianças e adolescentes, faz tráfico de meninas para o Suriname. Denunciada pela mãe de uma vítima de 13 anos que está desaparecida, a criminosa foi presa num dia e saiu no outro. Coincidentemente, assim que se viu livre, a barraca da mãe denunciante foi incendiada.

A pobre mulher teve que se mudar, porque está ameaçada de morte, além de suas duas netinhas. Tem sido corriqueiramente assim, não só lá como em todos os municípios: as vítimas é que têm que se esconder, porque seus algozes estão livres, leves e soltos. Vide o caso Sefer: um ano depois da denúncia, com toda a repercussão que teve e tem, apenas a pobre criança é que sofre, escondida, amedrontada e marcada para sempre física, moral e psicologicamente. Ele flana pelo Pará em plena campanha para deputado estadual, pelo PP.

Digno de registro é que um dos PMs do efetivo local está construindo uma suntuosa casa na passagem Iracema, no bairro de Água Boa, no Outeiro. Pelo jeito, o soldo na corporação é polpudo.

São muitas as pré-adolescentes que, abusadas nos antros que funcionam na orla de Outeiro e no tal Big Brother, estão grávidas. Crianças carregando no ventre outras crianças, desamparadas pelo poder público, à mercê da crueldade de criminosos, condenadas a um sofrimento atroz.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *