Barcos regionais a motor, veleiros, vigilengas, rabetas, bajaras, canoas ubás, igarités, catraias, botes fazem parte da memória afetiva, produtiva e econômica parauara, navegando pelo oceano Atlântico, baías, rios que mais parecem mares, lagos, igarapés, furos, estreitos, igapós e campos alagados…

Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Arquivo Público do Pará restaurado

A reforma demorou três anos mas há poucos minutos o lindíssimo prédio histórico de estilo neoclássico datado de 1994, localizado na esquina da Travessa Campos Sales com a rua 13 de Maio, no centro de Belém,  que sedia o Arquivo Público do Estado do Pará, foi de novo entregue à população pelo governador Simão Jatene. Guarda mais de quatro milhões de documentos, entre escrituras, inquéritos e iconografias, produzidos a partir do século XVII. 


O Arquivo acolhe diversos pesquisadores brasileiros e estrangeiros interessados em rastrear, analisar e redigir textos acadêmicos ou não sobre os mais diferentes e complexos temas. O acervo abrange não só a história do Pará, mas também da Amazônia e suas fronteiras nacionais e internacionais e está separado em três grandes divisões documentais: judiciário, legislativo e executivo. 

O secretário de Estado de Cultura, Paulo Chaves, adianta que qualquer cidadão pode ter acesso a serviços de gestão e transparência pública; de informações; pesquisa em Diário Oficial; pesquisa histórica; memória local; ação cultural; visita guiada; emissão de certidões probatórias e reprodução de documentos. Já houve até casos de pessoas que precisavam provar a propriedade de terras da família e encontraram no Arquivo o que precisavam.

O arquivo público já está disponível para visitação de 8h às 15h, de segunda a sexta-feira. O agendamento de grupos pode ser feito pelo e-mail apep.secult@yahoo.com.br. Mais informações pelo telefone 4009-4350.

As fotos são de Rodolfo Oliveira.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *