Área contígua ao centro histórico de Belém do Pará, Zona Especial do Patrimônio Histórico declarada por lei, o bairro do Reduto, cenário industrial da belle Époque, da Doca do Reduto no início do século XX, com suas canoas coloridas repletas…

A Primeira Seção do Superior Tribunal de Justiça fixou, sob o rito dos recursos repetitivos, a tese de que o servidor federal inativo, independentemente de prévio requerimento administrativo, tem direito à conversão em dinheiro da licença-prêmio não usufruída durante a…

O prefeito Edmilson Rodrigues cumpriu agenda institucional em Brasília, ao lado do secretário municipal de Gestão e Planejamento, Cláudio Puty. No Ministério da Economia, trataram das obras de saneamento básico no Canal do Mata Fome, no bairro do Tapanã, onde…

O leite materno contém propriedades importantes para o crescimento e desenvolvimento do bebê, fortalecendo a sua imunidade contra diversas doenças. Em 1992 a Aliança Mundial de Ação Pró-Amamentação criou a Semana Mundial de Aleitamento Materno, de 1 a 7 de…

Apitaço contra o tráfico humano

Amanhã vai ter “apitaço” contra o tráfico de pessoas na Praça da República, de 9h às 11h, promovido pela Comissão Justiça e Paz da CNBB Norte II, em parceria com o Comitê Estadual de Enfrentamento ao Tráfico Humano e a Rede “Um Grito pela Vida”. A ideia é dar visibilidade ao combate, alertar e informar a sociedade sobre esse crime hediondo. A concentração será às 8:30h, em frente ao Bar do Parque.
A coordenação de Proteção dos Direitos dos Trabalhadores Rurais e de Combate ao Escravismo e Tráfico da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) também apoia e participa do ato público. Serão distribuídos folders, máscaras, apitos e fitas de identificação para quem aderir ao movimento. 

A Comissão Justiça e Paz, coordenada pela Irmã Henriqueta Cavalcante, que tem como bispo acompanhante Dom José Luiz Azcona e da qual eu tenho a honra de ser integrante, vem trabalhando com ênfase o tema, que é o da Campanha da Fraternidade deste ano: “Fraternidade e Tráfico Humano – É para a liberdade que Cristo nos libertou”. A mobilização e a conscientização da sociedade para denunciar esse crime medonho é fundamental. O tráfico de pessoas é direcionado para prostituição, trabalhos forçados, exploração sexual, casamento servil, escravidão e remoção de órgãos. As denúncias podem ser feitas pelos números 100 e 180 (nacional) e 181 (estadual). A ligação é gratuita.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *