Barcos regionais a motor, veleiros, vigilengas, rabetas, bajaras, canoas ubás, igarités, catraias, botes fazem parte da memória afetiva, produtiva e econômica parauara, navegando pelo oceano Atlântico, baías, rios que mais parecem mares, lagos, igarapés, furos, estreitos, igapós e campos alagados…

Embora o Quartel Tiradentes esteja localizado no coração do bairro do Reduto, sediando o 2º BPM e duas Companhias da Polícia Militar do Pará, os meliantes parecem desafiar abertamente os policiais. Os assaltos no bairro continuam muito frequentes, principalmente no…

Douglas da Costa Rodrigues Junior, estudante de Letras - Língua Portuguesa da Universidade Federal do Pará e bolsista do Museu Paraense Emílio Goeldi, ganhou a 18ª edição do Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica na área de Ciências Humanas…

O Ministério Público do Trabalho PA-AP abrirá na segunda-feira inscrições para Estágio de Nível Superior. A seleção será destinada ao preenchimento de vagas e formação do quadro de reserva de estagiários dos cursos de Administração/Gestão Pública, Biblioteconomia, Direito, Jornalismo, Publicidade/Propaganda…

Aglomerações em barcos e praias continuam

Ontem a Segup impediu de novo um passeio fluvial até a Ilha de Cotijuba, distrito de Belém, no ferryboat “Marajó Norte”, que iria sair do Porto Aires, na Av. Bernardo Sayão, com mais de 400 pessoas e duas aparelhagens e duas carretas sonoras a bordo. Acionados pela Polícia Militar, agentes da Delegacia de Polícia Fluvial e do Grupamento Fluvial de Segurança Pública, além de militares da Capitania dos Portos da Marinha do Brasil, autuaram o organizador do evento, e apreenderam a embarcação, cuja documentação estava irregular. A PMPA e a Companhia Independente de Polícia Fluvial também deram apoio durante a ocorrência, lavrada pelo diretor do Grupamento Fluvial de Segurança Pública, delegado Arthur Braga.

Foi só o governo do Pará decretar bandeiramento verde para a Covid na Região Metropolitana de Belém, Marajó Oriental, Baixo Tocantins e Nordeste para hordas de banhistas correrem para praias, ilhas e igarapés, sem adoção das necessárias medidas de proteção ao contágio pelo coronavírus, tais como distanciamento social, uso de máscaras, sabão e álcool em gel. Mesmo com proibição de shows e festas, e horário pré-estabelecido para o fechamento de estabelecimentos comerciais, em todas as regiões do Pará continuam as aglomerações. Em Salinas, apesar do grande contingente policial, as fotos da praia do Atalaia mostram milhares de veranistas aglomerados em meio a veículos. Quase todo dia pelo menos um carro é levado pela maré cheia.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *