Nesta quinta-feira, dia 21, até o sábado, 23, a Escola do Legislativo da Assembleia Legislativa do Pará oferece os cursos de qualificação e atualização do projeto Forma Alepa/Elepa Itinerante em Santarém, atendendo toda a região do Baixo Amazonas, abrangendo também…

Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Adeus a Frei Henri des Roziers

Às 11h, horário de Paris, onde vivia desde 2013, Frei Henri Burin des Roziers, padre dominicano francês e ícone das lutas camponesas no Brasil, assistiu à missa, almoçou, e depois se recolheu à cama, onde faleceu às 14h, aos 87 anos

O padre chegou ao Brasil em 1978 e foi para o sul do Pará depois de conhecer religiosos exilados na França, no tempo da ditadura militar. Formado em Letras pela Sorbonne e em Direito Comparado por Cambridge, ofereceu seus serviços na luta contra a impunidade, na região ultra conflagrada do Bico do Papagaio – divisa dos Estados do Pará, Tocantins e Maranhão -, onde encontrou vítimas de trabalho escravo e nenhuma lei (nos últimos 30 anos, mais de 700 trabalhadores rurais foram assassinados lá). Logo foi incluído na lista de marcados para morrer e viu tombarem, vítimas da pistolagem, o padre Josimo Moraes (da Comissão Pastoral da Terra, assassinado em 1986 em Imperatriz, no Maranhão) e Expedito Ribeiro de Souza (presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rio Maria, no Pará), entre outros.  

Sua vida valia R$5 mil em 2010. O presidente francês, Jacques Chirac, chegou a pedir ao governo brasileiro que garantisse a segurança do religioso, que era sobrinho de Etienne Burin des Roziers, secretário-geral da Presidência da França no governo Charles de Gaulle. Advogado militante, frei Henri atuou em sete processos de assassinatos de sindicalistas e trabalhadores rurais. 

Em 23 de fevereiro de 2005, a Rádio Vaticano repercutiu alerta feito pelo conselheiro federal da OAB e ex-presidente da OAB-PA, Sérgio Couto, que pediu, em sessão plenária da Ordem, garantia da vida de Frei Henri pelo governo federal. Felizmente, morreu de causas naturais. Que Deus o receba na luz eterna!

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *