O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

A prefeita, o juiz e o delegado

Rondon do Pará
viveu hoje um dia atípico. A cidade parou de manhã para acompanhar o julgamento,
pelo Pleno do TJE-PA, da queixa-crime proposta pela prefeita do município,
Shirley Cristina de Barros Malcher (PSDB), contra o juiz da Comarca, Gabriel
Costa Ribeiro.
A prefeita acusou
o magistrado de calúnia e de difamação por ter destacado, sentenciando Mandado
de Segurança, trechos da petição inicial que ela considera atingir sua honra.
Os
magistrados rejeitaram a ação, à unanimidade. O relator, desembargador João Maroja,
ressaltou que “não emerge dos autos qual
razão explicaria a alegada má fé do juiz da Comarca que, até onde se percebe,
agiu apenas no exercício de seu munus
”. Observou que “avulta-se a ausência de dolo na mera transcrição de trechos da petição
inicial, que como o próprio acusado esclarece, é uma questão de estilo, e até
mais do que isso, é um procedimento de segurança, a fim de tornar evidentes as
razões de cada parte litigante
”. E concluiu estar “convencido de que o juiz Gabriel Costa Ribeiro não cometeu os delitos
que lhe são imputados; que, ao contrário, no mais lídimo exercício da atividade
jurisdicional, apenas narrou as pretensões das partes de acordo com as
alegações delas mesmas; e que determinou a comunicação à Polícia Federal para
apuração de eventuais irregularidades na gestão da querelante por estrito dever
de ofício
”.
A população
festejou a decisão do TJE-PA com muitos fogos de artifício. À tarde, por volta
das 15 horas, o governador Simão Jatene(PSDB) chegou com grande comitiva no
município, a fim de participar do grande comício da prefeita recandidata, que
vinha sendo anunciado para esta noite, na Praça da Paz, no centro da cidade, com
início às 19 horas.
Jatene e a
prefeita desfilaram em carro aberto em Rondon. Mas a carreata recebeu tantas
vaias que o governador não ficou para o comício. Foi embora por volta das
17:30h.
Dica para o
governador: tanto desagrado da população é por conta da prefeita ter, por
motivos políticos e com o aval do governo do Estado, conseguido tirar o competente
delegado de polícia de Rondon do Pará, que vinha fazendo um eficaz trabalho em
parceria com o juiz da Comarca, Gabriel Costa Ribeiro, um dos mais honrados e
dedicados magistrados do Pará. Os munícipes, que sentem na carne os ataques da
bandidagem, sabem reconhecer quem faz um bom trabalho. Simples assim.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *