Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

155 anos do Museu Goeldi

Uma das mais antigas instituições científicas do Brasil, o Museu Paraense Emílio Goeldi celebra 155 anos no dia 06 de outubro mas a programação virtual e gratuita já começa nesta segunda-feira, 04, e pode ser acessada no portal MPEG e acompanhada pelo canal do Museu Goeldi no YouTube, com exceção de três atividades, e inclusive dará certificado aos participantes.

A agenda inclui a 36ª edição do Museu de Portas Abertas, evento integrado ao Mês Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovações e à 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, organizadas pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações, ao qual o Museu Goeldi é vinculado.

Segundo museu de história natural criado no Brasil, em 1866, em Belém do Pará, onde mantém seu campus de pesquisa e o primeiro parque zoobotânico do país, o MPEG também conta com uma estação científica na Floresta Nacional de Caxiuanã, no arquipélago do Marajó, que funciona como laboratório avançado sobre o funcionamento das florestas tropicais. A instituição mantém, ainda, um campus avançado em Cuiabá, sede do Instituto Nacional de Pesquisas do Pantanal.

Proposto e organizado pela saudosa educadora Helena Quadros, falecida este ano vítima da Covid-19, o Museu Goeldi de Portas Abertas é realizado anualmente e envolve todos os setores da instituição. Surgiu para atender reivindicação de comunitários do bairro da Terra Firme, mas a adesão e o tamanho do programa educativo foi se expandindo e agora é integrado a grandes eventos nacionais.

O acesso às bases físicas do MPEG continua restrito, em respeito às medidas de controle sanitário, mas, exceto o dia 6, quando completa 155 anos e integra a grade de transmissão do MCTI, toda a programação aberta do MPA estará disponível no canal do Museu Goeldi no YouTube, onde pesquisadores, técnicos, bolsistas, alunos de pós-graduação e educadores apresentarão pesquisas, atividades educativas e de divulgação da ciência.

Nesta segunda, 04, às 10h, a ecóloga Ima Vieira, pesquisadora e ex-diretora-geral do Museu Goeldi, falará sobre os “155 anos de pesquisa sobre a sociobiodiversidade na Amazônia”, com a mediação da jornalista Joice Santos, chefe do Serviço de Comunicação Social. No dia 05, às 10h, pela plataforma Zoom, haverá a roda conversa “Memórias do MPA”. Dia 06, às 14h, será transmitida a palestra “155 anos do MPEG”, com a participação dos pesquisadores Ana Luisa Albernaz (ecóloga e diretora-geral do MPEG) e Nelson Sanjad (historiador). Às 16h, o público poderá fazer passeio virtual pelas coleções do MPEG.

No dia 12, às 10h, o programa do Dia das Crianças terá Contação de História com Aline Lira e o Grupo Nossa Biblioteca, e em seguida lançamentos do Jogo digital da Memória, Histórias em Quadrinhos inspiradas pelo MPEG e seu Parque Zoobotânico e do podcast Pode Goeldi?

Ainda nessa semana, dia 13, será a vez das Exposições virtuais Caminhos Amazônicos e Ambientes Costeiros, e no dia 15, Dia do Professor, os educadores do Museu Goeldi apresentarão algumas ferramentas para dinâmicas escolares ou estratégias de educação não-formal e, também, os Kits do Clube do Pesquisador Mirim e a Cartilha Um Passeio Animal.

Nos dias 21 e 22, haverá o Ciclo de Palestras 155 anos com pesquisadores da Botânica, Zoologia, Ciências Humanas, Transferência de Tecnologia e um passeio virtual pela centenária Biblioteca Ferreira Penna. Será um mergulho no mundo das plantas: “Biodiversidade Invisível”, com a pesquisadora Monyck Lopes; “Composição química dos óleos essenciais de espécimes de Calycolpus goetheanus (Myrtaceae), com a bolsista Celeste Franco; “Composição química e atividades biológicas do óleo essencial de espécies da família Myrtaceae”, por Geovanna Siqueira, bolsista de iniciação científica; “Composição química e atividade fitotóxica de espécies de Annonaceae da região Amazônica“, pelo bolsista Angelo Moraes; “Bioprospecção de óleos essenciais”, com a pesquisadora Eloísa Andrade, que coordena o Laboratório Adolpho Ducke; e “Saber de plantas pra quê?”, com o doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia, Jonilson Ribeiro.

Os temas das palestras também incluirão Zoologia e Arqueologia: “Peixes das corredeiras dos rios amazônicos”, com o pesquisador Alberto Akama; “Insetos nas obras raras do Museu” com a pesquisadora Marlúcia Martins; “O paraíso perdido fica na Amazônia”, com o arqueólogo Marcos Magalhães; “Novos produtos e processos desenvolvidos pelo MPEG a partir dos ativos da biodiversidade amazônica”, com o coordenador de Planejamento e Acompanhamento,  Amilcar Mendes; e “Escavando as coleções arqueológicas do Museu Goeldi”, com a arqueóloga Helena Lima, curadora do acervo. E, ainda, uma visita à centenária Biblioteca Ferreira do Museu Goeldi, com o bibliotecário Rodrigo Paiva.

Entre os dias 25 a 27, será realizado o Festival Cultural Gastronômico Sabores e Saberes, junto ao lançamento da plataforma do projeto interativo A Floresta Sensível, coordenado pelo antropólogo Glenn Shepard Jr. Será uma programação mista de lives e webinars explorando o conhecimento originário, tradicional e científico sobre as memórias e vivências sensoriais da Amazônia, em seus cheiros, ervas, essências, frutos, sabores, específicos da região. Sabores e Saberes transforma e amplia para o ambiente virtual o popular festival de Gastronomia Inteligente, criado e realizado pela engenheira florestal Vera Bastos e a educadora Helena Quadros.

Com o patrocínio do Instituto Serrapilheira, a plataforma online “A Floresta Sensível” será lançada no dia 28 e oferecerá ao público um passeio virtual 360º e um jogo imersivo, além de muitas informações científicas sobre 12 espécies do parque.

Encerra a programação do mês, no dia 29às 10h, a “Oficina do ponto de memória sobre reaproveitamento de óleo de cozinha”. Totalmente gratuitos, os eventos ficarão disponíveis no canal oficial do MPEG no YouTube, aqui.

Foto: Florada Jambeiro MPEG – Lívia Prestes

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Participe da discussão

1 comentário

  1. Um bando de preguiçosos, unica repartição que esta fechada a 18 meses ao público. Uma vergonha!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *