O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

14 anos sem o maestro Isoca


Há 14 anos Wilson Fonseca, o maestro Isoca, se
foi. Compositor, historiador, dramaturgo e folclorista autodidata, era um ser
iluminado, gênio que se eternizou nas mais de 1.600 músicas que compôs, além de
uma infinidade de textos, muitos ainda inéditos. 
Mesmo sem formação acadêmica, Wilson Fonseca
também escrevia poemas, peças de teatro, crítica de cinema e se dedicava a
pesquisas sobre história, folclore, cultura popular e os mais variados
assuntos. Sua música transitava do erudito ao popular, entre sambas, modinhas,
toadas, tangos, marchinhas, jazz, cordões juninos, música sacra, de câmara e
até ópera. 
Fundador da Academia Paraense de Música e
membro da Academia Paraense de Letras, parceiro do maestro Waldemar Henrique,
Isoca nasceu em Santarém, no dia 17 de novembro de 1912, e faleceu em Belém, no
dia 24 de março de 2012. O legado que ele deixou é universal e engrandece o
Pará e o Brasil. 
A data de fundação de Santarém, como aldeia
missionária, em 22 de junho de 1661, oficializada pela Lei Municipal nº
9.270/1981, resulta de pesquisas históricas realizadas pelo maestro Isoca,
publicadas no “Meu Baú Mocorongo”, coletânea em 6 volumes editada pelo Governo
do Estado, via Seduc/Secult, e lançado em 17.11.2006, data do aniversário de
Wilson Fonseca, quando aconteceu o primeiro concerto da Orquestra Sinfônica do
Theatro da Paz em Santarém, durante a inauguração do busto de Isoca no
aeroporto local, denominado “Maestro Wilson Fonseca”. Antes de o
saudoso maestro Isoca descobrir, a partir de pesquisas junto ao Vaticano, a
data da chegada do padre Felipe Bettendorf (22/06/1661) para fundar a missão
dos Tapajós, ponto de partida para o surgimento de Santarém, a cidade
comemorava aniversário no dia 24 de outubro, porque, em 1848, nessa data, a
antiga vila foi elevada pelo governo da Província do Pará. 





A cantora lírica Gabriella Florenzano pesquisa
e canta sua obra. No vídeo gravado por Vicente Malheiros da Fonseca Filho, neto
de Isoca, ela interpreta sua canção “Um Poema de Amor”, em concerto
no Theatro da Paz.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *