O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, convocou e empossou Torrinho Torres, primeiro suplente do Podemos, na vaga do deputado Igor Normando, que está licenciado para exercer o cargo de secretário de Estado de Articulação da Cidadania. O novo parlamentar…

Reconhecimento máximo da Associação Paulista de Críticos de Artes a obras de Literatura, Música popular, Arquitetura, Artes Visuais, Cinema, Dança, Rádio, Teatro, Teatro Infantojuvenil e Televisão, o Prêmio IPCA, anunciado na segunda-feira, 6/2, contemplou o livro de contos “Eu já…

A sesquicentenária samaumeira que perdeu seus galhos na madrugada desta segunda-feira (6) é memória afetiva de todos os paraenses e até de gente de fora do Pará e do Brasil que frequenta Belém durante o Círio de Nazaré. Localizada em…

O Tribunal Regional Eleitoral do Pará oficializou o resultado da eleição suplementar em Viseu 39 minutos após o encerramento da votação. Foi eleito prefeito Cristiano Vale (nº 11 – PP – Voltando pra Cuidar da Gente) e vice-prefeito Mauro da…

Tripulantes do barco desaparecido foram mortos

Os seis tripulantes do barco “Bom Jesus”, que desapareceu no declarado trajeto entre Santarém e o município de Chaves, no arquipélago do Marajó (PA), foram assassinados com requintes de perversidade e esquartejados por traficantes de drogas em Santana, no Amapá, conforme relato de familiares dos desaparecidos. Os corpos estariam sendo trasladados para Santarém.

Ao aceitar de boa fé o frete, a tripulação informou aos familiares que desconhecia a natureza da carga que transportaria e que o retorno seria em dez dias. Um dos trabalhadores chegou a contar à namorada que haviam chegado em Chaves, mas que no dia seguinte seguiriam para outra comunidade chamada Nazaré, para entregar a tal carga. A mudança no destino teria sido porque a pessoa que receberia a carga em Chaves teria desistido de ir buscar a encomenda. Foi a última notícia que souberam deles. O desaparecimento foi registrado ontem (11) à tarde na 16ª Seccional de Polícia Civil de Santarém. Ficou evidente que a carga era relacionada ao crime organizado.

As pessoas a bordo do barco “Bom Jesus” eram o mecânico Antônio Oliveira dos Santos, o maquinista Joelson da Silva Costa, o marinheiro Cristiano de Azevedo Figueira, a cozinheira Leilane Carla Ferreira Guimarães, o policial militar da reserva Valdeney Dolzanes Reis e um homem não identificado, que seria o responsável pela carga. De acordo com as informações dos familiares das vítimas, na hora da entrega os tripulantes foram massacrados.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *