1

A cantora Gabriella Florenzano veio de Portugal especialmente para interpretar a música tema do concerto do violonista, compositor, escritor e pesquisador Salomão Habib em tributo aos 130 anos de nascimento do compositor, violonista e poeta paraense Tó Teixeira, nesta terça-feira, 13, às 20 horas, no Theatro da Paz, e gravar clipes. O concerto “Tó Teixeira – 130 Anos – Mais uma lembrança” terá também a participação especial de
Gilson no Bandolim, Yasmim Correa e
Pedro Richardson no Violão, além da Orquestra Tó Teixeira de Choro, com Marcos Cardoso Puff no Clarinete e Sax; Buchecha no Cavaquinho, Mauro Ricardo e Diego Santos no Violão de 7 cordas, Paula Borges no Bandolim, Paulo Borges na Flauta, André Ganso na Percussão, Thaiz Vera Cruz no Pandeiro e Mayco Danin na voz em dueto com Salomão Habib.

Trata-se de concerto histórico, com obras inéditas que fazem parte da segunda etapa da pesquisa que já conta com trinta anos de dedicação de Salomão Habib, que é membro da Academia Paraense de Letras.

“Celebrar Tó Teixeira é mais que um evento cultural. É celebrar as conquistas das lutas de gerações, oprimidas pelo racismo e pelo preconceito. Lutas que não devem ser esquecidas. Tó ensinou que o amor à música, aos seus alunos e amigos, à dignidade da profissão do músico, foram as suas maiores riquezas.
A cada nota, mestre Tó renasce, refazendo histórias. Viva Tó Teixeira, o Poeta do Violão!”, celebra Salomão Habib.

Antônio Teixeira do Nascimento Filho, o Tó Teixeira, nasceu em Belém dia 13 de junho de 1893, no Umarizal, na época “bairro de negros”, que era onde moravam os afrodescendentes que trabalhavam no “centro” da cidade, a atual Cidade Velha.

Tó Teixeira foi multi-instrumentista, porém seu principal instrumento era o violão. Formou gerações de músicos das mais variadas classes sociais.

Além de violonista, foi encadernador, ofício que aprendeu ainda adolescente ao lado de Bruno de Menezes, seu amigo irmão. Faleceu no ano de 1982 e deixou um legado portentoso de obras para os mais diversos instrumentos. Ladainhas, canções, valsas, choros, maxixes, tangos, marchas, carimbós e sambas foram alguns dos gêneros presentes na obra de Tó Teixeira.

O concerto “Tó Teixeira 130 Anos” mostrará ao público um espetáculo repleto de memórias vivas deste grande compositor e será dividido em duas partes.

Na primeira, peças solo para violão, com músicas consagradas do repertório do Mestre Tó, assim como peças inéditas que compõem o novo repertório da pesquisa do violonista.

Na segunda parte, peças para Orquestra de Choro ou grupo de “Pau e Corda”, denominação da época de Tó, com formação original para violão, cavaquinho, flauta, clarinete, pandeiro, contrabaixo acústico e violão de sete cordas.

Foi na humilde oficina que Tó aprendeu a ler e se auto educou.
Homem humilde, foi o primeiro homem preto a fazer um concerto de violão na Amazônia; foi o primeiro transcritor de obras clássicas para o violão; foi o primeiro professor de violão do Pará e da Amazônia. Um homem que tinha orgulho de ser músico e professor.

O ano de 2023 marca os 130 anos de nascimento deste paraense que nasceu para a música e é de imensa importância histórica, cultural e social.

O Intérprete e pesquisador Salomão Habib é filho do músico trompetista Raimundo Dantas e nasceu em Belém do Pará no ano de 1965. Em 1990, orientado e estimulado pelo escritor Vicente Salles, foi convidado a gravar o LP “Música e Memória – Tó Teixeira” pelo selo da Universidade Federal do Pará, a convite do Prof. Emanuel Matos, então pró Reitor de Extensão. O LP foi lançado em 1991. Até hoje a pesquisa se mantém ativa.
Uma particularidade na vida do compositor é que ao ministrar suas aulas em sua residência na Rua Domingos Marreiros, 370, Tó escrevia estudos, valsa, chulas, choros e sambas para seus alunos; dedicava e doava os originais naquele momento, sem que com ele ficasse grande parte de sua obra.

Ao longo de trinta anos, Salomão Habib dedicou-se a refazer os passos do mestre Tó Teixeira, recolhendo o material original manuscrito, por vezes escrito em papel que embrulhava pão, refazendo a história musical do mestre.
Em 2013, com o apoio do SESC do Rio de Janeiro, e em parte do Sesc do Pará, Salomão Habib gravou quatro CDs e um DVD documentário, com produção da Amazon Filmes, e lançou dois livros: um biográfico e outro de partituras com as músicas recolhidas.
Salomão Habib tem 2 LPs gravados 44 Cds, 8 DVDs e 8 livros publicados.
Em 2023, a pesquisa evoluiu para outra fase em razão das novas descobertas de peças do compositor. Canções inéditas, valsas e choros fazem parte da nova fase da pesquisa que revela nomes como Edilberto Dumont, parceiro de Tó nas letras das canções compostas.

O converto conta com o apoio da Secult – Secretaria Executiva de Cultura do Pará -, Funtelpa – Rede Cultura de Comunicação, e FCP – Fundação Cultural do Pará e patrocínio de BR Elétron e Bentô Sushi.

Carta para as Santas e Santos de casa

Anterior

Abrajet-PA realça meio ambiente na Fita 2023

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

1 Comentário

  1. O século XXI é espantoso! Vivemos as 4 dimensões de espaço-tempo convencionais e mais uma dimensão: o mundo da web. Assim, é possível acreditarmos que estamos transitando pela intimidade uns dos outros livremente. Ainda não sabemos se este mundo não imaginado nem mesmo pela mais criativa ficção científica do século passado é bom ou ruim, mas podemos afirmar que, mesmo sem sair de casa, poder participar desse evento como se estivesse na primeira fila, é uma maravilha! Obrigada mais uma vez, Alan Turing!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *