Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

TJE-PA mantém bloqueio de madeireira feito pela Semas

As Câmaras Cíveis Reunidas do Tribunal de Justiça do Pará,  sob a presidência do desembargador Ricardo Nunes, negaram à unanimidade mandado de segurança da CE Serraria com Desdobramento de Madeira Ltda., que pretendia suspender o bloqueio administrativo de suas atividades, determinado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Semas) ao Sistema de Comercialização e Transporte de Produtos Florestais (Sisflora). Os desembargadores acompanharam o voto da relatora, desembargadora Gleide Pereira de Moura, e decidiram  extinguir o processo sem julgamento de mérito. 

Para os magistrados há indícios de comercialização de espécies “esquentadas” pela transferência de crédito da Tecniflora, e a madeira comprada pela CE Serraria é procedente de empresa que não observou manejo florestal.
“Parece-nos claro que a suspensão preventiva objetivou proteger o meio ambiente de maior degradação, cabendo reiterar que o meio ambiente é bem maior, direito difuso, de toda a coletividade, se sobrepondo a qualquer interesse privado, exatamente como ocorreu no presente caso. Extrai-se, então, que o risco para a sociedade e para o meio ambiente, sem sombra de dúvida, é maior que o risco enfrentado pela empresa no decorrer do procedimento administrativo”, ressaltou a decisão.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *