O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Uma reunião no Ministério Público do Estado do Pará colocou em pauta a situação caótica da Unidade de Conservação Estadual Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu, onde proliferam construções e empreendimentos comerciais irregulares, transporte fluvial desordenado, festas e…

Terror e impunidade em Tomé-Açu

É muito grave a situação em Tomé-Açu. A população está literalmente entregue à própria sorte numa terra sem lei, onde os enredos de filmes da Máfia são fichinha perto da realidade nua, crua e dolorosa que aterroriza a sociedade local. Ontem à noite, o prefeito Josehildo Taketa Bezerra (PT) sofreu um atentado em sua casa, que foi metralhada. Felizmente, não houve vítimas.
 
Josehildo  era vice-prefeito e assumiu em 19 de agosto deste ano, após a destituição, pela Câmara Municipal, do prefeito Carlos Vinicius de Melo Vieira (PMDB), acusado de ser mandante do assassinato do empresário Luciano Capaccio e do advogado Jorge Pimentel, no dia 2 de março. As vítimas estavam em um bar quando os pistoleiros chegaram e, no estilo faroeste, disseram que todos podiam sair que o caso deles era com os dois, e executaram ambos com quatro tiros.
 
Tomé-Açu tem histórico de mortes por encomenda com conotação política. O pai de Luciano Capaccio também foi assassinado por pistoleiros.
O vereador Raimundo Sampaio (PRB) eleito em 2008, nem tomou posse. Logo em seguida, no dia 15 de outubro, foi morto por assassinos de aluguel.
Na época do crime, a população se revoltou e queimou a Delegacia de Polícia e o Fórum, 100 policiais foram deslocados para o município, mas a tradicional impunidade continua a impulsionar outros crimes.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *