Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Em 17 de dezembro de 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas designou o 25 de novembro Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher. Passados 22 anos, os dados do 14° Anuário Brasileiro de Segurança Pública são aterrorizantes: por…

Somos todos Alcyr Guimarães


O músico parauara Alcyr Guimarães, cantor, compositor e poeta, que tem 26 CDs lançados em 52 anos de carreira, com trabalhos inclusive no Exterior e mais de 500 obras de sua autoria, já foi integrante de alguns dos mais importantes grupos musicais do Pará, tais como Manga Verde, Arraial do Pavulagem e Oficina. Ontem, ele foi assaltado duas vezes, quando se dirigia ao Mercado de São Braz para se apresentar no show em homenagem aos 400 anos de Belém do Pará. Na primeira, por ter sido reconhecido, deixaram que ficasse com o violão e o celular, seus instrumentos de trabalho. Na segunda vez, levaram tudo. Alcyr foi para casa, rezou agradecendo por sua vida, e encontrou forças para cumprir a agenda artística, como sempre, muito aplaudido. 

Logo cedo, ao ser entrevistado no programa do jornalista Edgar Augusto Proença, na rádio Cultura, Alcyr tinha dito que “Belém é sua gente, que precisa de paz e segurança”. Tem toda razão. Como postei ontem mesmo: ninguém pode apreciar os muitos recantos lindos de Belém despreocupadamente, sem medo. O exercício pleno da cidadania, em suas manifestações mais básicas, como caminhar pela cidade, nos é negado, porque a bandidagem está à solta e os cidadãos amedrontados. 

Apelo ao governador Simão Jatene, que também é músico e bem pode avaliar as perdas e danos sofridos, que determine empenho máximo na recuperação dos pertences de Alcyr Guimarães, ou que o Estado reponha seus instrumentos de trabalho. E que tal ação seja exemplo simbólico de novas estratégias na segurança pública, de modo a garantir, a todos os munícipes, a paz social que tanto reivindicamos no ano novo. Não é fácil, sabemos, mas é preciso dar um basta nessa situação, e a sociedade tem papel relevante nesse sentido. Muito mais do que vestir branco, acender velas e fazer passeatas, precisamos agir, juntos e em uníssono, para garantia dos legítimos direitos do homem e do cidadão.

Cliquem aqui para assistir ao pungente relato de Alcyr Guimarães, um artista respeitado e admirado, mas sobretudo um cidadão de bem, que merece o devido amparo. Um vídeo que emociona porque toca no fundo de cada coração. Mas sequemos as lágrimas e, como Alcyr, façamos a nossa parte. 

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *