Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Em 17 de dezembro de 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas designou o 25 de novembro Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher. Passados 22 anos, os dados do 14° Anuário Brasileiro de Segurança Pública são aterrorizantes: por…

Sérgio Pimentel está inelegível

O Ministério Público
Eleitoral impugnou a candidatura de Sérgio Pimentel (PSL) à prefeitura de Belém,
por estar inelegível até 2014, de acordo com as regras da Lei da Ficha Limpa. Ele
teve as contas rejeitadas pelo TCU. A impugnação será julgada pela 76ª Zona
Eleitoral do Pará. 

O MPF, que coordena os trabalhos do MP Eleitoral,
foi comunicado do julgamento para processar a improbidade administrativa e
identificou a situação de inelegibilidade.  As contas rejeitadas são do
período em que Pimentel era assessor especial da Prefeitura de Belém, no
primeiro mandato do atual prefeito, Duciomar Costa. O prefeito também foi
condenado no mesmo acórdão. As irregularidades foram encontradas na execução de
um contrato com a empresa Aplicar Serviços Especializados de Pesquisa e
Tecnologia Ltda., no valor de quase R$ 3 milhões. 

Pimentel foi multado em R$ 30 mil pelas
irregularidades, ficou inelegível e está proibido de exercer qualquer cargo em
comissão ou função de confiança na administração pública. Duciomar também deve
pagar R$ 100 mil. Foram condenados ainda, no mesmo acórdão, a empresa Aplicar,
Silvia Randel, Elton de Barros Braga, Alan Dionísio Leão Sales, Mônica Sá
Pantoja da Silva, José Cláudio Soeiro Xavier e Elisabeth Sousa Pereira.

Sérgio Pimentel recorreu da decisão, mas teve o
recurso rejeitado na sessão do TCU do último dia 13 de junho.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *