Para marcar os quinze anos de criação das Florestas Estaduais de Faro, Trombetas e Paru, da Estação Ecológica Grão-Pará e da Reserva Biológica Maicuru, na Calha Norte, hoje (4), o Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) lançou…

Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Semana Nacional de Memória e Direitos Humanos

De hoje a 6 de abril,
acontece a Semana Nacional de Memória e Direitos Humanos. Consulte a
programação em todo o País aqui.
O Seminário “Arquivos da Repressão e o Acesso Público na
Era Digital
” marcou, hoje, em São Paulo, o lançamento de cerca de 1 milhão
de imagens referentes a documentos do extinto Departamento Estadual de Ordem
Política e Social de São Paulo (Deops-SP) disponíveis para consulta irrestrita
pela internet no 
site http://www.arquivoestado.sp.gov.br/memoriapolitica. O trabalho de digitalização, que deve continuar, alcançou
10% do total de prontuários preservados.
O Deops funcionou entre 1924
e 1983 e tinha como objetivo prevenir e reprimir delitos considerados de ordem
política e social contra a segurança do Estado. Os documentos encontrados em
Santos revelam a atuação do órgão na Baixada Santista, especialmente durante a
ditadura militar. Entre os “fichados” estão Carlos Lamarca, Frei
Betto, Carlos Marighella e Lula, além de personagens da política local, sindicalistas
e líderes estudantis. 
A Semana Paraense pela
Memória e Direitos Humanos tem o apoio de dezenas de entidades ligadas à defesa
dos direitos humanos, entre elas Sinjor-PA, OAB-PA, Alepa, Arquivo Público do
Estado, Sejudh, Museu Goeldi, Unegro, Câmara de Belém, Instituto Paulo
Fonteles, UNE, UAP e UJS.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *