Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Rodovias mortais

Estamos no último fim de semana das férias de julho e a Polícia
Rodoviária Federal continua a se limitar a computar o número de mortos e
feridos. Há uma semana, os 25 dias registravam 32 mortos nas estradas. Uma
hecatombe que poderia ser evitada se a PRF fizesse o mínimo que se espera:
fiscalizar. Não permitir que ônibus e carretas trafeguem em todas as pistas,
por exemplo. Aliás, carretas deveriam ser impedidas de trafegar em finais de
semana de férias e feriados prolongados.
O DNIT até agora não regularizou a sinalização
vertical e horizontal e os retornos na BR-316, entre o Km 0 e o Km 20; não construiu
passarelas para substituir as faixas de pedestres, nos locais indicados em
estudos técnicos; e nem adotou as medidas necessárias à reestruturação da
rodovia no trecho com estreitamento da via no sentido crescente e decrescente.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *