As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Os fatos que ensejaram a prisão preventiva do SGT Gildson dos Santos Soares e o afastamento da Coronel QOPM/PA Andréa Keyla Leal Rocha do Comando de Policiamento Ambiental da Polícia Militar do Pará descortinaram uma situação gravíssima e surreal dentro…

Relatório da Comissão sobre a Lei Kandir

Hoje foi um dia atípico no plenário da Alepa. Os deputados federais Arnaldo Jordy (PPS) e José Priante (PMDB), presidente e relator, respectivamente, da Comissão Especial da Câmara dos Deputados que analisa mudanças na Lei Kandir, apresentaram seu parecer conclusivo e falaram a mesma língua que o deputado Edmilson Rodrigues (PSOL), também membro da comissão, o governador Simão Jatene(PSDB), o líder do PMDB, Iran Lima, o líder do Governo, Eliel Faustino(DEM), a vereadora Marinor Brito(PSOL), a dirigente da Rede, Úrsula Vidal, e o presidente da Alepa, deputado Márcio Miranda(DEM), além do presidente do Sindifisco Pará, Antonio Catete, o presidente da Fapespa, Eduardo Costa, e o secretário de Estado da Fazenda, Nilo Noronha, e a adjunta da Sectet, Maria Amélia Enríquez. 

Contando parece inacreditável, mas não só a reunião transcorreu no maior clima de paz e concórdia, como também Jatene e Priante, sentados lado a lado na mesa oficial, cochicharam um bocado.

Mas é evidente que não poderia ser de outra forma. Afinal de contas, o Pará tem um crédito junto à União de quase R$40 bilhões, referente ao passivo em razão da Lei Kandir, pela isenção do ICMS. Sem falar no que há pela frente. Óbvio também que  ninguém pode ter a ilusão de que essa bolada toda virá para os cofres parauaras de mão beijada. No cenário de crise, a única alternativa viável é um “encontro de contas”. Ou seja: compensar a dívida estadual e as dívidas dos municípios para com o governo federal. Se isso acontecer, já aliviará em muito o aperto pelo qual todos passam.

O relatório será votado amanhã, em Brasília (DF). Para entender tudo direitinho, cliquem aqui e leiam na íntegra o relatório, que gentilmente o deputado Priante me enviou.


Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *