Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Prêmio Especial Jornalista Raimundo Pinto

 Os jurados e a coordenadora da premiação


O júri do Prêmio Especial Jornalista Raimundo Pinto escolheu os três finalistas de cada categoria: rádio, TV, impresso e web. No total, são 12 reportagens finalistas, selecionadas entre as 41 inscritas.
A turma da TV se destacou: foram 19 trabalhos inscritos, como ressalta a jornalista Cleide Pinheiro, coordenadora da premiação. 

Um dos critérios de avaliação dos trabalhos e que acaba desclassificando algumas reportagens é a adequação ao regulamento e ao tema indústria. Roberta Vilanova, presidente do Sindicato dos Jornalistas e uma das juradas, chama atenção para o quesito. “É importante que os jornalistas fiquem atentos ao regulamento para que possam fazer matérias cada vez mais adequadas aos critérios exigidos no edital. Em algumas, falta ouvir o trabalhador, que é fundamental no processo produtivo. Os repórteres têm que ficar atentos aos personagens que serão escolhidos para produção da matéria”. 

As equipes vencedoras receberão R$12.500,00 cada, além do troféu da maior premiação de jornalismo na Amazônia. “É um prêmio bem formatado, com regulamento bacana, um prêmio sério, no qual cada passo é seguido de maneira muito rigorosa. Um júri de pessoas que conhece o que vai avaliar. O resultado disso deve ser muito bom”, pontua o jornalista Ronaldo Penna, que também fez parte do júri. 

Os vencedores serão anunciados só no dia 3 de dezembro, quando serão entregues também os prêmios dos Melhores Profissionais do Ano, que foram indicados por uma comissão formada por cerca de 100 profissionais de comunicação e escolhidos em votação dividida em duas fases, sendo que a primeira foi aberta ao público no site www.premiosistemafiepa.com.br e a segunda reservada apenas aos integrantes da comissão, que tem até este dia 25 para votar. 

Os jornalistas Edson Salame, diretor do jornal O Liberal, Adelaide Oliveira, presidente da Funtelpa, e Adil Bahia, gerente de jornalismo da TV RBA, dividirão a comenda Personalidade de Comunicação do ano, pelos relevantes serviços prestados à sociedade paraense no exercício da profissão. 

O evento é realizado pelo Sistema Fiepa, integrado pelo Sesi, Senai, IEL e os 40 sindicatos de diversas atividades industriais do Pará. O patrocínio é do Governo do Estado do Pará e Imerys. Conta, ainda, com apoio da Extrafarma, escritório de advocacia Silveira, Athias, Soriano de Mello, Guimarães, Pinheiro & Scaff Advogados, Hapvida e Sindicato dos Jornalistas do Pará, sob a coordenação da Temple Comunicação.

Confiram os finalistas do Prêmio Especial Jornalista Raimundo Pinto:

Impresso (ordem alfabética)
· Açaí e Tecnologia, de Carlos Borges, Felipe Melo, Filipe Sanches e Victor Furtado (revista Amazônia Viva)
· Arte abre caminho à cidadania, de Anna Peres, Igor Mota e Roberto do Vale (jornal O Liberal) 
· Indústria brasileira de olho no alumínio do Pará, de Celso Freire (revista Pará Mais)

TV (ordem alfabética)
· Apanhador/ Açaí, de André Mousinho, Clodoaldo Martins, Nathalia Kahwage, Niltom Ayres, Reginaldo Gonçalves e William Serique (TV Liberal)
· Cacau – o fruto de ouro do Pará, de Daniella Mendonça e Lidiane Martins (TV Cultura)
· Ração/ Miriti, de Amanda Pereira, André Mousinho, Clodoaldo Martins, Jalilia Messias, Nilton Ayres, Reginaldo Gonçalves e William Serique (TV Liberal)

Rádio (ordem alfabética)
· A indústria da pecuária no Pará, de Joana Claudia Melo (Cultura FM)
· Queijo marajoara: da clandestinidade à certificação, de Antonio Braga, Cira Pinheiro e Tony Vilhena (Rádio Liberal)
· Universitários conectados pelos aplicativos, de Celso Freire (Rádio Liberal)

Web (ordem alfabética)
· Na contramão da crise, mercado da beleza aposta em novidades, de Bruno Magno (Portal ORM News)
· Pará aposta na tecnologia para voltar a liderar a exportação de castanha do país, de Jeso Carneiro (Blog do Jeso)
· Quanto custa? O custo de um Pará produtivo, de Ângela Bazzoni, Hélio Granado e Maycon Nunes (DOL)

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *