Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Prefeito entrega município a Deus


Guanambi é uma pequena cidade da Bahia, que fica a 796 Km de Salvador. O município foi instalado em 1º de janeiro de 1920 e tem população estimada (Censo do IBGE – 2010) em 84.645 habitantes. Pois bem: o prefeito recém-empossado, Jairo Silveira Magalhães, na falta de algo melhor para fazer, achou por bem baixar logo no primeiro dia de sua administração o Decreto nº 01, de 02/01/2017, que vocês podem ler aí em cima, entregando a cidade a …. Deus. Sim, especificamente ao Senhor Jesus Cristo de Nazaré. Aproveitou o ato oficial para declarar, ainda, o cancelamento de todos os pactos realizados com qualquer outro deus ou entidades espirituais.

Claro que a medida – publicada no Diário Oficial do Município – causou o maior bafafá. A tal ponto que, hoje, o alcaide tratou de veicular nota de esclarecimento jurando que não teve intenção de causar dissensão ou debate de cunho religioso, muito menos ferir o caráter laico do Estado brasileiro, assegurado na Constituição Federal. Diz que a real intenção do tal decreto, diante do ambiente de intolerância e assustadora violência que atormenta as famílias e a sociedade, foi de apelar a todas as crenças, suplicando a proteção de Deus. E arrematou afirmando que se algum cidadão se sentiu ofendido pela mensagem, “o prefeito, de forma humilde e sincera, pede as mais sinceras escusas.” 

Ah, bom! Melhor assim.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *