Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Prefeito de Curuçá encalacrado

O
MPF denunciou o prefeito de Curuçá, Fernando Alberto Cabral da Cruz, por desvio
de recursos de incentivos fiscais do Fundo de Investimento da Amazônia,
administrado pela Sudam. Também foram denunciados o produtor rural Edilson
Leray Silva e a empresária Maria Auxiliadora Barra Martins, que criaram a
empresa de fachada Suínos da Amazônia S.A (Suinasa) e cooptaram os laranjas Benedito Mair Bastos de Deus e
Ana Cristina Lobato Mendes, que figuravam como sócios da empresa.

Um projeto da Suinasa previa a implantação de
empreendimento agropecuário no município de Santo Antônio do Tauá (PA), que captaria
incentivos fiscais no montante de R$ 4,525 milhões e, em contrapartida, a
empresa aplicaria o mesmo valor.

A Suinasa obteve 77,80% dos recursos autorizados
pelo projeto apresentado ao Finam. Foram liberados, em três parcelas, R$
3.520.960,00 do total previsto até o fim da parceria: a primeira parcela, de R$
1.321.000,00, foi creditada dia 16 de dezembro de 1999; a segunda, de R$ 1
milhão, creditada no dia 24 de fevereiro de 2000; e a última, de R$
1.199.976,00, liberada em 06 de julho de 2000.

Só que a fiscalização do Ministério da
Integração Nacional constatou que a partir daí o projeto foi paralisado sem
justificativas e a empresa estava em situação de abandono.

Inquérito policial revelou que o prefeito de Curuçá
era o verdadeiro proprietário do empreendimento. Em depoimento, a laranja Ana Cristina revelou que o
prefeito até foi com ela ao banco para abrir conta em nome da Suinasa.

A ação tramita na Justiça Federal, sob o nº 0028237-93.2011.4.01.0000/PA.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *