Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Possível fim da fidelização a contratos

Quem nunca teve o celular furtado ou quebrado e ainda por cima arcou com o pagamento de multa na compra de um novo aparelho? Pois a Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados aprovou o substitutivo do relator, deputado Fábio Sousa (PSDB-GO), ao projeto de lei 5267/13, de autoria do deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), que altera o Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90) e inclui como abusivas as cláusulas contratuais que obriguem a fidelização e o pagamento de multas para o cancelamento antecipado de contratos de prestação de serviços. 

As operadoras de serviços de telecomunicações oferecem programas que combinam o fornecimento de aparelhos celulares e planos de pagamento com descontos. Em contrapartida, exigem a adesão obrigatória ao contrato por um período de até 12 meses.  

Já o projeto 5389/13, do deputado Anderson Ferreira (PR-PE), que tramita em conjunto com o PL 5267/13, também proíbe a migração entre planos de serviços sem prévia anuência do consumidor. É que desde o fim de 2014 as operadoras de telefonia móvel estão migrando compulsoriamente os usuários com planos de acesso à internet com franquia ilimitada de tráfego de dados para outros planos, com franquia limitada.  Adivinhem quem perde sempre?

O texto ainda será analisado pelas comissões de Defesa do Consumidor e de Constituição e Justiça e de Cidadania, mas tramita em caráter conclusivo: se for aprovado nas comissões, seguirá para o Senado, sem passar pelo plenário da Câmara.  

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *