Em reunião conjunta das Comissões de Fiscalização Financeira e Orçamentária (CFFO) e de Constituição e Justiça (CCJ) da Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (18) foi aprovado o projeto de lei nº 363/2021, que autoriza o Governo do Pará a contratar operação…

Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Polícia indicia imediato e prático

Foto: Samuel Alvarenga
O imediato Raimundo Nilson da Cruz e o prático Flávio Lins Barbosa, responsáveis pela condução do navio cargueiro Mercosul Santos, que se chocou com o empurrador da empresa Bertolini em 2 de agosto de 2017, no estreito de Óbidos(PA)foram indiciados pelo naufrágio que ceifou nove vidas. 

A regra 14 do Regulamento Internacional Para Evitar Abalroamento no Mar orienta que quando duas embarcações movidas a propulsão mecânica se aproximarem em sentidos opostos, em condições que envolvam risco de abalroamento, cada uma deverá guinar a boreste (para a direita), de forma que a passagem se dê a bombordo uma da outra. De acordo com o diretor do Grupamento Fluvial da Polícia Civil, delegado Dilermando Dantas, que presidiu o inquérito e durante cinco meses fez diligências, colheu depoimentos e mandou periciar áudios captados pelo sistema registrador de dados do navio, ficou claro que a conduta foi diversa. 

Os áudios não mostram comunicação entre as duas embarcações envolvidas no acidente, e sim do navio com o empurrador Dom Francisco, que também navegava no local.
Para o delegado, a confusão entre áudios e os equívocos de interpretação por parte dos profissionais que conduziam o Mercosul Santos foram determinantes para a colisão e o naufrágio.

O anúncio foi feito hoje pela polícia, e confirma o que postei aqui, com exclusividade, no dia 17 de setembro do ano passado, sob o título “Caixa-preta do navio elucida naufrágio”.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *