0

Imaginem a hipotética e hilária situação: um juiz casado tem um caso amoroso com a advogada, que é esposa do desembargador corregedor, que pela resolução deve saber o motivo de sua suspeição por foro íntimo…”
(juiz gaiato dando exemplo, digamos, pertinente, de como vai ser difícil cumprir a determinação do CNJ, de obrigatoriedade de justificativa nos casos em que o magistrado se declarar impedido por motivos de foro íntimo).
Franssinete Florenzano
Jornalista e advogada, membro da Academia Paraense de Jornalismo, da Academia Paraense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do Pará, da Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo e do Instituto Histórico e Geográfico do Tapajós, editora geral do portal Uruá-Tapera e consultora da Alepa. Filiada ao Sinjor Pará, à Fenaj e à Fij.

Urge erradicar o escalpelamento

Anterior

Fato novo

Próximo

Você pode gostar

Comentários