0
Compartilhamento

Uma aeronave saiu de Altamira em direção a Terra Indígena Xipaia, hoje, por volta das 10h15min, levando a cacica Juma Xipaia em busca da localização da balsa garimpeira que foi vista ontem (14) no rio Iriri, à altura do município de Altamira. No meio fluvial, existe uma equipe da Força Nacional e Agentes do ICMBio, que estavam em fiscalização em localidades próximas e vão permanecer na Terra Indígena até a chegada de reforços. Amanhã (16), logo cedo, mais integrantes das Forças Nacionais se deslocarão via aérea para a Terra Indígena Xipaia. No domingo da Páscoa (17), uma equipe de Polícia Judiciária também se deslocará para a TI Xipaia. As informações são do procurador da República Felício Pontes, renomado defensor dos direitos humanos e dos povos indígenas, que atua em Brasília (DF).

A denúncias de indígenas da TI Xipaia de que uma balsa garimpeira teria saído ontem à noite da TI, por volta das 22h30min sem paradeiro certo está sendo apurada, e a integridade física da comunidade indígena foi mantida e não houve conflito armado. Estão todos bem, tranquilizou o membro do Ministério Público Federal.

Hoje (15), às 12h10, membros da comunidade indígena informaram que a balsa não está mais naquela área. O acesso à Terra Indígena Xipaia é apenas pelos rios (saindo de Altamira-PA, em viagem que dura aproximadamente dois dias) e via aérea (que depende da previsão meteorológica, pontos de abastecimento por conta da autonomia e locais para pouso), o que dificulta o acesso imediato à TI.

Por sua vez, a Polícia Federal divulgou nota assegurando que, junto com o ICMBio, a Força Nacional, o Ibama e a Funai, há uma mobilização geral para reprimir qualquer atentado aos direitos da comunidade indígena Xipaia e crimes ambientais. Os órgãos estão com efetivo em Itaituba, Altamira, Novo Progresso e São Félix do Xingu (PA), no contexto da operação Guardiões do Bioma. Para evitar confronto entre indígenas e garimpeiros, em razão de extração ilegal de minérios na região da Reserva Extrativista do Iriri e ataques à comunidade indígena Xipaia, houve o reforço da segurança local.

Equipe da Força Nacional que atuava em fiscalização do ICMBio na Reserva Extrativista do Iriri, que fica próxima à Terra Indígena Xipaia, já está na aldeia, diz a nota da PF. Em paralelo, outras equipes da Força Nacional e da Polícia Federal em Itaituba estão em deslocamento, com apoio da Funai, de forma a reforçar a segurança e combater o garimpo ilegal na Reserva Extrativista do Iriri e na Terra Indígena Xipaia.

Ontem, a cacica Juma Xipaia, da aldeia Karimãa, divulgou um vídeo nas redes sociais afirmando que lideranças indígenas viram uma balsa de grande porte com maquinários para extração de ouro, navegando pelo rio Iriri, e que já estariam destruindo o seu território indígena. Ela relatou que seu pai, Francisco Kuruaya, foi saber o que estava acontecendo e acabou agredido com socos e empurrões.

ABI e FENAJ pedem apuração de atentado contra repórter

Anterior

Mulheres, Gênero e Identidades Plurais na Literatura e nas Artes

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *