O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

A pequenez da Câmara de Belém

Mais uma cena de falta de vergonha explícita,
hoje, no circo que se instalou na Câmara Municipal de Belém, talvez a mais
desmoralizada do País. Mais uma vez, o presidente Raimundo Castro(PTB) ouviu na cara dura insultos como “sem caráter“, “sem moral” e “velhaco”.
Ao final da sessão, quando todo mundo,
inclusive o vereador Augusto Pantoja (PPS), autor do requerimento, esperava a
instalação da CPI da Macrodrenagem, visto que todas as exigências tinham sido
cumpridas (numero de assinaturas, indicações de bancadas, etc.), Raimundo
Castro, alegando – vejam só! – obediência ao parágrafo primeiro do artigo 35 do
Regimento Interno, disse que, contra a
vontade dele
– pasmem! -, seria obrigado
a não instalar
a CPI, porque – vejam só de novo! – ele ficou sabendo justamente hoje (só faltou dizer que vai exonerar
a
Diretoria
Legislativa
por isso) que há cinco ou seis requerimentos
de CPIs, datados de 2009, que não foram instaladas e nem declaradas extintas
formalmente.
Detalhe: o artigo citado por ele estabelece
que: 
A Comissão Parlamentar de Inquérito 
que  não  se instalar no prazo de dez dias úteis, após a publicação
da Portaria de nomeação de seus membros, ou deixar de concluir seus trabalhos
no prazo de sessenta dias, contados da instalação, será declarada extinta, salvo se, para a última hipótese, a maioria
dos seus membros requererem à Presidência e esta deferir, prorrogação de prazo
por igual período.
” (grifei).
Do que se
depreende que o presidente da CMB não sabe ler ou interpretar o próprio
dispositivo que evoca. Um espanto. Um horror.
Ah! Antes da patacoada, Raimundo Castro reuniu a
portas fechadas, na sala VIP, com os vereadores Orlando Reis (líder do governo)
e Nadir Neves, da mesma turma. Na hora de anunciar a morte da CPI, Orlando Reis
estava sentado ao lado de Castro, na Mesa, dando o maior apoio.
O vereador Augusto Pantoja já avisou
que vai impetrar Mandado de Segurança para garantir a instalação da CPI da
Macrodrenagem.
Eles querem é impedir que se descubra toda a
canalhice e a roubalheira que cercaram o leilão dessas máquinas. Está tudo
muito claro. Esse golpe baixo, sórdido contra a CPI tem como objetivo esconder
toda a sujeita desta administração. Esta Casa não pode viver eternamente
esperando que CPIs sejam instaladas; não podemos ficar reféns de pedidos de CPI
de 2009. Isso é velhacaria. É expediente de gente que usa o Legislativo para
esconder podridão. Belém é a capital do esgoto a céu aberto, do lixo e da
podridão. E enquanto a cidade está podre de lixo, Duciomar está podre de rico
“,
bradou.
Otávio Pinheiro,
líder da bancada do PT, aos gritos e se dirigindo ao presidente da Câmara, lamentou
ter que conviver com uma pessoa “que
não tem moral
“. E que não instalar a CPI “é desídia, improbidade e uma vergonha“.
A CPI da Macrodrenagem investigaria denúncias acerca do
uso por empresa particular de mais de 100 caminhões, caçambas,
retroescavadeiras e patrol, doados pelo governador Simão Jatene (PSDB) ao
prefeito Duciomar Costa (PTB), na primeira gestão de ambos, para desobstrução e
limpeza de canais de Belém. Os equipamentos foram entregues pelo prefeito à Belém
Ambiental, contratada para o serviço de limpeza municipal ,que tem como um dos
sócios Jean Nunes, ex-assessor de Duciomar Costa. A BA utilizou os bens
públicos gratuitamente durante anos e em abril passado arrematou os mesmos
equipamentos, leiloados pela PMB sob a justificativa de que estavam
“inservíveis”.
Esteja certo
de que se ratificar esta posição, vereador Castro, o senhor entrará para o
folclore político do País. Será difícil encontrar uma atitude tão descabida nos
relatos sobre o Legislativo brasileiro. Foi uma ideia maliciosa, desonesta,
vinda daqueles que fazem o grupo que defende o prefeito nesta Casa
“, advertiu
o vereador Fernando Dourado (PSD).
A sessão de amanhã promete ferver. O Legislativo
de Belém não pode se apequenar mais, está abaixo do chão.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *