Patrick Luis Cruz de Sousa, candidato a presidente do Conselho Regional de Farmácia do Pará pela Chapa 1 e atual conselheiro do CRF-PA, discursa na campanha em favor das mulheres, que representam 70% da categoria, mas no início deste ano…

A 27ª Unidade de Conservação do Estado do Pará abrange os municípios de Jacareacanga e Novo Progresso, no sudoeste paraense. O Decreto nº 1.944/2021 foi assinado pelo governador Helder Barbalho na quinta-feira, 21, e publicado ontem (22) no Diário Oficial…

O Atlas da Dívida dos Estados Brasileiros, lançado no Fórum Internacional Tributário pela Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital, aponta que a dívida ativa das empresas com os entes federados soma estratosféricos R$ 896,2 bilhões, significando 13,18% do PIB…

Ao abrir oficialmente o Forma Alepa/Elepa, o presidente da Assembleia Legislativa do Pará, deputado Chicão, destacou a importância do trabalho que vem sendo executado pela Escola do Legislativo, treinando, qualificando e atualizando gestores, vereadores e servidores públicos, que dessa forma…

Os esclarecimentos da Doxa sobre os 100,1% da pesquisa

Ontem, assim que publiquei a pesquisa eleitoral da Doxa em Belém e ficou evidenciado que o somatório dos percentuais alcançava 100,1%, pedi publicamente no Facebook, e também através de e-mail, explicações a Dornélio Silva, diretor do instituto. Somente hoje, às 12:16h, ele me respondeu por e-mail, afirmando que estava elaborando e me enviaria uma nota de esclarecimentos. Para minha surpresa, a prolixa nota que veio, às 16:05h, é cheia de citações a terceiras pessoas. Não copiei a pesquisa de O Liberal e muito menos de outros blogs, ela me foi enviada pelo próprio Dornélio. Entendo que merecia uma nota objetiva e respondendo especificamente a questão. Enfim, publico na íntegra o que recebi, em homenagem aos leitores, que assim podem tirar suas próprias conclusões. 


Em nossas pesquisas, a DOXA utiliza a casa decimal e os votos estimulados são transformados em válidos, onde votos brancos e nulos não são computados. A divulgação do jornal O Liberal optou em apresentar os números válidos, ou seja, optou por arredondar para mais e assim Zenaldo, que aparece na pesquisa com 56,26%, arredondando para 56,3%. Edmilson vem com 43,73% e arredondado fica com 43,8%. 

Ou seja, Edmilson foi beneficiado com esse 0,1 a mais que o Jornal O Liberal publicou. 

Os comentários das torcidas organizadas e seus respectivos candidatos, são compreensíveis e até normais. Só esse ano, realizamos 140 pesquisas, em 60 municípios paraenses, onde obtemos 85% de acerto nas aferições estatísticas. 

Dornélio Silva, cientísta político da DOXA já havia trazido ao conhecimento público, o histórico das últimas eleições em Belém, onde demostra a tendência de votos em Edmilson e Zenaldo. 

A média de crescimento de Edmilson nas três últimas eleições que participou (1996-2000-2012), do primeiro para o segundo turno foi de 10%. A média de seus adversários foi de 23%”, conclui o estudo que tem como fonte os resultados do TRE-PA”, conclui Dornélio em uma publicação no blog oficial da Doxa e que foi publicado em outros blogs como As Falas da Pólis, Ver-o-fato. 

Em relação aos que questionam os números apresentados pela última pesquisa da DOXA, Dornélio Silva diz que os que contestam os números do seu instituto, podem até entender de política, mas estão distorcendo, ou desconhecem a lógica matemática.
E explica, usando como exemplo outros casos, onde institutos de pesquisas como o IBOPE e Datafolha já apresentaram os motivos de muitos resultados divulgados não serem exatos, como muitos acham que deveria sempre ser. 
A soma dos percentuais totaliza 101% devido ao critério de arredondamento dos percentuais, visto que utilizamos em nossos relatórios os dados com casas decimais. Nestes arredondamentos, podemos ter casos que somam 99% (ou menos) ou 101% (ou mais), como no referido caso. O arredondamento é um conceito matemático básico, que determina que entre 0,0% e 0,4%, são arredondados para 0%, enquanto os valores superiores a 0,5% são arredondados para 1%”, explica cientista político Daniel Menezes, ao citar um caso, onde uma pesquisa arrendou para 1%. No caso da DOXA, foi arredondado apenas 0,1%”. 

Dornélio reforça a informação do colega de profissão e complementa: “O Excel, programa usado pela DOXA para a geração de tabelas e gráficos, é projetado para totalizar os resultados até a segunda casa decimal e arrendondar as demais. E isso não pode ser considerado um erro do sistema e sim uma possibilidade matemática”. 

“Desqualificar os resultados de uma pesquisa a partir do desconhecimento, proposital ou acidental, de uma regra básica de matemática – o arrendondamento -, beira o obscurantismo”, finaliza o cientista político Daniel Menezes, em uma matéria publicada pelo blog “De olho no discurso”.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *