Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Em 17 de dezembro de 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas designou o 25 de novembro Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher. Passados 22 anos, os dados do 14° Anuário Brasileiro de Segurança Pública são aterrorizantes: por…

Operação Safer River salva raias e acaris em Santarém


A Operação “Safer River”, da Polícia Civil do Estado do Pará, em parceria com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Polícia Militar e Ministério Público Federal,  desarticulou, em Santarém, associação criminosa especializada no tráfico internacional de peixes ornamentais, entre eles acaris e raias (também chamadas arraias), avaliados em R$ 100 mil

A equipe policial, coordenada pelos delegados Sílvio Byrro, do Núcleo de Apoio à Investigação do Oeste do Pará, e Marcos Mileo, do Grupo de Pronto Emprego, com apoio dos departamentos de Fiscalização e Inteligência da Semas, constatou através das imagens de raios-x, no aeroporto maestro Wilson Fonseca, que duas malas despachadas para Manaus num voo que seguiria para o Exterior estavam cheias de sacos contendo peixes ornamentais em situação ilegal. 

Na hora os donos das malas receberam voz de prisão. Em seguida, foram presos mais três indivíduos que atuavam na logística do tráfico dos animais, e identificada a casa onde armazenavam os peixes, onde foram apreendidas cerca de 46 raias, além de 450 outros peixes ornamentais. 

Os animais  foram encaminhados ao Instituto de Ciências e Tecnologias das Águas, da UFOPA, lá recebidos pelo Prof. Dr. Luciano Jensen Vaz e Dra. Michele Midori Sena Fugimura, ambos do Laboratório Múltiplo para a Produção de Organismos Aquáticos, especializado em aquicultura. 
O flagrante foi mantido e estão decretadas as prisões preventivas pelo juiz federal de Santarém, por associação criminosa, pesca ilegal e contrabando.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *