Trabalhadores da Companhia Docas do Pará estão em pé de guerra com a direção da estatal federal. Desde julho estão padecendo com contracheques zerados, aumento de jornada, remuneração encurtada, custo de vida encarecido e compromissos não honrados. Tudo isso graças…

A juíza Sara Augusta Pereira de Oliveira Medeiros, titular da 3ª Vara Cível, Infância e Juventude, Órfãos, Interditos e Ausentes de Castanhal (PA) exarou uma sentença emblemática, em plena Semana da Pessoa com Deficiência: obrigou a Escola Professor Antônio Leite…

Observando que é irracional o deslocamento de grande quantidade de pacientes em busca de tratamento, o Ministério Público do Pará ajuizou Ação Civil Pública contra o Estado do Pará e o Município de Marabá, para a criação de Unidade de…

O governador Helder Barbalho sanciona hoje à noite, em cerimônia no auditório do Centur, o 'Vale Gás' e o 'Água Pará', destinados a famílias de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade social. Ambos serão gerenciados e fiscalizados pela Secretaria…

Operação Manirroto prende 7 e investiga 50 empresas

A Operação Manirroto, que desmantelou no Pará esquema criminoso contra a ordem tributária e o sistema
financeiro nacional, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro, com prejuízo aos
cofres públicos estimado em R$ 20 milhões, mobilizou hoje 40 servidores da Receita Federal e 120 agentes da PF que há um ano
estavam de olho em pessoas físicas e
grupos empresariais que ostentavam riqueza incompatível com os rendimentos
declarados ao Leão. Durante a
investigação, foi apurado o uso de “laranjas”, que emprestavam suas contas bancárias
para servir de entreposto ao dinheiro movimentado, que posteriormente seguia
para os verdadeiros destinatários.


Foram cumpridos sete mandados de
prisão – Raimundo Nonato Nogueira da Costa, Roberlan Baldo Fiorese, José
Domingos de Oliveira, Heron Belei de Oliveira, Francisco Edmar Cunha e sua
esposa Vera Lúcia de Carvalho Cunha, e Ridário Messias Lins, todos donos de
factorings -, trinta e três mandados de busca e apreensão nas empresas e
residências dos investigados e dezesseis mandados de condução coercitiva. As
ações ocorreram em Belém e em vários municípios paraenses. Além disso, a
Justiça Federal decretou o sequestro de bens e o bloqueio de recursos
financeiros dos envolvidos.


O nome da operação faz alusão a
pessoa perdulária, esbanjadora. Cinquenta empresas estão sob investigação, além de servidores públicos, políticos e empresários, cujos nomes ainda não foram revelados pela PF.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *