O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

O povo de Belém X Gervásio Morgado

Mais uma vez, a
Câmara Municipal de Belém foi palco, hoje, de cenas explícitas de uma ópera bufa. O vereador Carlos Augusto
Barbosa (DEM) leu na tribuna a petição pública repudiando o projeto de
alteração do Plano Diretor Urbano, de autoria do quase ex-vereador Gervásio
Morgado (PR), que quer porque quer enfiar goela abaixo da população, sem
estudos técnicos nem de impacto ambiental, o aumento do gabarito para a
construção de grandes prédios no entorno da Av. Almirante
Barroso.
Morgado – vejam só! –,
como sempre debochado, acusou
as
associações, movimentos sociais, ONGs e até o Ministério Público de interferência
no trabalho dos vereadores, como se eles não tivessem obrigação justamente de
trabalhar em prol do que é melhor para a população. 

O quase ex-vereador, mais
uma vez, deu piti
e desrespeitou a
autoridade do promotor de justiça Raimundo Moraes, que recomendou expressamente
a não inclusão em pauta do famigerado projeto, sem
antes serem realizados estudos e debates com a população. Apoderou-se da
presidência da sessão e forçou a votação. Havia 16 vereadores presentes mas
caiu para 14 a frequência, e a falta de quorum obrigou novo adiamento. 

Morgado,
ensandecido, diz que vai incluir na pauta da
próxima terça-feira, 11. Mas o povo está
mobilizado para estar lá. E as entidades populares visitarão cada gabinete de
vereador expondo as razões pelas quais o projeto não deve ser aprovado.
O presidente da Câmara, vereador Raimundo Castro(PTB), recebeu
o abaixo-assinado popular e receberá
oficialmente os pareceres da Comissão Técnica e também do MPE, na 2ª feira, dia
10.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *