Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

O Murutucu e a Cabanagem

A Companhia Teatral Nós Outros estreia em maio o espetáculo “Batista”, de Carlos Correia Santos, com Hudson Andrade. A montagem celebra os 230 anos de um dos mais importantes líderes revolucionários do Brasil: o Cônego Batista Campos, mentor da Cabanagem, um dos mais significativos episódios politico-culturais da América Latina. A produção do espetáculo decidiu fazer as fotos oficiais de divulgação da peça nas Ruínas do Murutucu, relevante sítio histórico tombado pela União. O local, além de ter as marcas arquitetônicas do famoso italiano Landi, foi um dos principais acampamentos dos cabanos. De lá, os revoltosos marcharam em 1835 para tomar o poder da capital do Grão Pará, numa ação sem precedentes para a História do Brasil: o povo tomando o poder e decidindo seus rumos. Durante a pré-produção do ensaio fotográfico, o grupo constatou o estado lastimável, vergonhoso e imperdoável do sítio e surgiu assim o projeto “Ruínas da Memória”. Em todas as sessões da montagem, serão coletadas assinaturas para uma petição pública destinada a exigir providencias para que as Ruínas do Murutucu sejam revitalizadas, preservadas e divulgadas. O engenho do Murutucu era propriedade da família Rodrigues Martins, e ficou conhecido pela crueldade com que eram tratados os escravos. A capela foi projetada por Antonio Landi, que nela imprimiu seu estilo. Ali foi realizado o casamento da filha do arquiteto, nora do dono. As ruínas incluem uma casa de engenho, uma roda d’água, o barracão para negros, uma casa de moradia e todos os apetrechos para a produção de melado e rapadura. Confiram a peça no Sesc Boulevard, dias 10, 11, 17, 18, 24 e 25 de maio, sempre às 20h30. A entrada é gratuita.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *