Quando todos apostavam em uma radicalização que causasse esgarçamento das relações empresariais na cúpula das indústrias instaladas no Pará, a diretoria da Federação das Indústrias do Estado do Pará, liderada por José Conrado Santos e José Maria Mendonça, deu uma…

Os botânicos Fúvio Oliveira e Rafael Gomes, doutorandos do Programa de Pós-graduação em Botânica Tropical do Museu Paraense Emílio Goeldi e Universidade Federal Rural da Amazônia, concorreram com 86 jovens cientistas do mundo inteiro e estão entre os 23 contemplados…

Na próxima terça-feira, dia 16, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, deverá incluir na pauta do plenário a apreciação do Processo nº 7/2022, encaminhado pelo Tribunal de Contas do Estado, tratando da prestação de contas do Governo do Pará…

Liderados pelo presidente da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), promotor de justiça Manoel Murrieta, que é paraense, promotores, procuradores, juristas e convidados do Brasil inteiro irão reafirmar o compromisso institucional do Ministério Público e o seu papel…

O horror

Durante duas horas, Dom José Luiz Azcona discorreu sobre a situação medonha vivenciada no Marajó, tragado pela miséria, narcotráfico, pedofilia e exploração sexual infanto-juvenil.
O relato do bispo na CPI da Pedofilia é de doer no fundo d’alma.
Como ele mesmo disse, é de chorar, é de gritar, de clamar aos Céus.
Para vocês terem idéia da gravidade, as estatísticas do Pró-Paz e do Cedeca, que ele revelou, incluem bebês de 0 a 2 anos!
E o pior é que essa tragédia assola o Pará inteiro, e autoridades do Executivo, Legislativo e Judiciário, nas esferas municipal e estadual, estão comprometidas – no mínimo, por serem omissas, denunciou o sacerdote, que entregou documentos com nomes de políticos e empresários envolvidos em uma infinidade de casos – tidos como rotineiros (!) de pedofilia, exploração, prostituição e tráfico de crianças e adolescentes, muitas vezes em troca de um quilo de carne ou um litro de óleo, estupradas e engravidadas por pais e avós, ou por padrastos, com o consentimento da mãe!
Dom Azcona – que está marcado para morrer porque optou por defender as crianças e jovens explorados – concluiu seu emocionante depoimento exortando os membros da CPI a não deixar tudo acabar em pizza, a exemplo de tantas outras, lembrando ainda que já entregou essas mesmas denúncias à OAB-PA e ao Ministério Público, que nada fizeram além de dar entrevistas.
Não podemos aceitar esse horror. Precisamos gritar, sim, exigir de nossos representantes que ajam, com rapidez e eficácia. Urge que a sociedade paraense saia do mutismo e da imobilidade. Que não permita mais tanta impunidade, tanta desgraça. Pensem nos seus filhos e filhas. Não dá mais para fechar os olhos e virar o rosto para tamanha atrocidade.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *