Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

O aborto e a ética na política

                            

         A foto verdadeira é a de baixo, originalmente publicada no site Movimento Marajó Forte

O vídeo mostrando o diálogo íntimo do
deputado federal Arnaldo Jordy(PPS) lança luz sobre dois temas que precisam ser
objeto de debate nacional: o aborto e a ética na política.
Tive acesso logo no primeiro momento ao
material, mas não quis divulgá-lo até que fosse confirmada sua autenticidade,
não só pela dúvida quanto à autoria mas também porque revela a intimidade de um
casal.
Penso ser mais do que oportuno que se cobre,
não só de Jordy mas também de todos os políticos que exercem ou que disputam
mandatos, que exponham suas opiniões acerca de temas polêmicos como a
interrupção voluntária da gravidez, alvo de discussões apaixonadas, pelo mar de
emoções envolvidas, além do aspecto legal.
Os políticos brasileiros acostumaram-se a
praticar estelionato eleitoral. São filiados à velha máxima “faça o que eu
digo, mas não faça o que eu faço”. Ou seja, se a opinião pública pode não
gostar de alguma convicção pessoal, ela é omitida, para garantir os votos
necessários a cada eleição.
O resultado é que todos os partidos políticos
são ideologicamente fracos e iguais. Tanto que assistimos a raposas felpudas transitarem sem o menor
pejo de um para outro. E até ao surgimento de partido que “não é de direita,
nem de esquerda, nem de centro”, como se isso fosse possível com honestidade de
propósitos.
Ora, Jordy tem todo o direito de defender o
aborto e, na sua vida pessoal, discuti-lo abertamente com sua parceira. O que
não pode é, no exercício do mandato legislativo, e pleiteando outro no
Executivo, abraçar publicamente ideia contrária, como se nota pela foto aí em
cima. Posições contraditórias que só se explicam – e jamais se justificam –
pela clara intenção de iludir o eleitor.
Como em qualquer democracia que se preze, os políticos
têm que se manifestar, assumir o ônus por suas escolhas, a fim de que cada um
vote de modo consciente, e depois não se sinta lesado em sua confiança
depositada nas urnas. Quem é a favor do aborto, do desmatamento, da eutanásia,
da liberação da maconha, da especulação imobiliária, que abra o jogo. Que
assuma e erga sua bandeira de modo limpo, sem ludibriar o eleitorado. O que não
dá é para continuar esse jogo de gato e rato que só pode resultar em baixarias
que proliferam nas campanhas eleitorais. Todos nós, dignos contribuintes, já
estamos fartos da enganação.



ATUALIZAÇÃO: o blog foi induzido ao erro por leitor que enviou uma foto adulterada do deputado Arnaldo Jordy, ao qual peço desculpas pela publicação da montagem, que deixo aqui a fim de que os leitores percebam a manobra. E faço pública retratação: o deputado Jordy não posou com a camisa de propaganda contrária ao aborto.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *