Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

O 5º Mandamento e a desigualdade

Aquela operação conjunta da  Corregedoria da Polícia Militar, Grupo de Pronto Emprego da Polícia Civil, Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado e policiais do Gabinete Militar do Ministério Público do Estado do Pará efetivada na quinta (18), em Parauapebas, sudeste do Pará, foi batizada – vejam só! – de “Quinto Mandamento”. Que, como todo mundo sabe, é “Não matarás”. A operação foi coordenada pelo promotor de Justiça e coordenador do Gaeco, Milton Menezes,

A advogada Betânia Maria Amorim Viveiros, mandante do assassinato do seu sócio, o advogado criminalista Dárcio Antônio Gonçalves Cunha, está em prisão especial, no Batalhão de Policiamento Ambiental. Os 2 cabos da PM estão no presídio Anastácio das Neves em Americano e o capitão está no PEM I em Marituba. Como se vê, a desigualdade social também existe na cadeia. Faltou a catequese quanto ao tratamento aos prisioneiros.

Betânia devia dinheiro ao colega, encomendou o crime ao capitão PM Dercílio Júlio de Souza Nascimento, que incumbiu a execução aos cabos PMs Francisco da Silva e Sousa e Kacilio Rodrigues da Silva. No dia 05 de novembro de 2013, Dárcio Cunha, 42 anos, foi morto a tiros quando aguardava uma pizza na porta de sua residência.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *