Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Nem papel nas seccionais de polícia

O deputado Edmilson Rodrigues(PSOL)
denunciou na tribuna da Alepa, hoje, a constante falta de papel nas seccionais
urbanas de Belém, que vem tumultuando o trabalho da polícia. Em requerimento,
ele cobrou explicações à Segup-PA. Os registros de ocorrências policiais, de
prisões e de perícias são alguns dos serviços comprometidos pela falta de
papel. Praticamente todo o trabalho de uma delegacia é realizado por meio de
documentos impressos no computador e assinados pelas autoridades competentes,
que são encaminhados ao Poder Judiciário, ao Sistema Penal, ao Centro de
Perícias Científicas, ao Instituto Médico Legal e a vários setores da polícia e
do poder público.
Tem
sido significativo o número de cidadãos que procuram as seccionais para
registrar a ocorrência de crimes sofridos, mas voltam para casa sem conseguir
atendimento, ou pior, têm que comprar o papel do próprio bolso. Há cerca de um
mês, a quantidade de papel enviada às seccionais tem sido bastante aquém da
necessidade. E, para as seccionais não pararem, alguém tem comprado o produto,
inclusive os próprios delegados, preocupados em cumprir os prazos de inquéritos
policiais, prevenindo, assim, sofrer possíveis procedimentos administrativos
”,
revelou Edmilson.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *