O Procurador-Geral de Justiça César Mattar Jr. inaugurou nesta quinta-feira, 16, o Núcleo Eleitoral do Ministério Público do Estado do Pará, que vai funcionar na sede das Promotorias de Justiça de Icoaraci, distrito de Belém. O coordenador será o promotor…

A desembargadora Maria de Nazaré Saavedra Guimarães, que se destaca pelo belo trabalho que desenvolve à frente da Comissão de Ações Judiciais em Direitos Humanos e Repercussão Social do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, e que já coordenou…

Brega no Pará é coisa séria. Tem Brega Pop, Brega Calypso, Brega Marcante, Brega Saudade, Tecnobrega, Melody, Tecnomelody … Verdadeiro hino (música oficial dos 400 anos de Belém), não há quem desconheça o clássico Ao Por do Sol, eternizado na…

Uma reunião no Ministério Público do Estado do Pará colocou em pauta a situação caótica da Unidade de Conservação Estadual Área de Proteção Ambiental da Ilha do Combu, onde proliferam construções e empreendimentos comerciais irregulares, transporte fluvial desordenado, festas e…

Musicalidade do Oeste do Pará


O
desembargador do trabalho e compositor Vicente Malheiros da Fonseca viaja amanhã
para Santarém, onde vai integrar a comissão julgadora do 1º Festival de Bandas
Musicais do Baixo-Amazonas e Transamazônica, no qual concorrem 16 bandas de
Alenquer, Almeirim, Altamira, Alter do Chão, Aveiro, Belterra, Brasil Novo,
Itaituba, Juruti, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Placas,
Uruará e Santarém.
Os
vencedores terão suas músicas gravadas, ao vivo, em CD denominado “Coletânea 32
anos da Rádio Guarany FM”, promotora do evento. Os prêmios são: 1º lugar – R$10
mil; 2º lugar – R$7 mil; e 3º lugar – R$5 mil. A Rádio promete também tocar durante
1 ano as músicas vencedoras em sua programação diária.
Durante
o Festival haverá concerto do violonista Sebastião Tapajós e homenagem póstuma
a Wilson Fonseca (maestro Isoca), que terá uma música executada por seu filho
José Agostinho da Fonseca Neto (Tinho).

Em
1970 foi realizado, em Santarém, o 1º Festival de Música Popular do
Baixo-Amazonas, no Cinema Olympia, com a participação dos maestros Waldemar
Henrique e Wilson Fonseca, e Vicente Malheiros da Fonseca também integrou a
Comissão Julgadora.

Isoca guardou farto
material, com ilustrações fotográficas, publicado no livro “Meu Baú Mocorongo”
(p. 749-777, volume 3). Há também referências ao memorável Festival no livro “A
Vida e a Obra de Wilson Fonseca”, de autoria de Vicente Fonseca, que louva a
iniciativa na terra que é berço de Sebastião Tapajós, Rachel e Gioconda Peluso,
Wilson, Wilmar e Wilde Fonseca, Adalgisa e Mimi Paixão, Paulo Rodrigues dos
Santos, Felisbelo e Felisberto Sussuarana, Joaquim e Expedito Toscano, Cléo e
Sílvio Braga, Rui Barata, João Fona, Emir Bemerguy, Edwaldo Campos, Laurimar
Leal, Elias Rosário, Dica Frazão e tantos renomados compositores, poetas, compositores
e artistas que honram arte e a cultura tapajônica, amazônica e brasileira.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *