0

O Grupo de Teatro Palha encena a peça Muralhas Invisíveis, de Edyr Augusto Proença, que entra em cartaz no próximo dia 1º de setembro. A temporada fica até 10 de setembro, às quintas e sextas sempre às 20 horas e aos sábados e domingos às 18h e 20h, no Teatro Waldemar Henrique.

Contemplado com o prêmio Funarte de Estímulo ao Teatro, da Fundação Nacional de Artes, vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), o espetáculo é um musical que retrata a rotina da esquina da rua Riachuelo com a Av. Presidente Vargas, bairro da Campina, cenário das histórias de prostitutas, cafetões, pedintes, traficantes, guardadores e artistas que povoam a obra literária e teatral de Edyr Augusto. A vida dura do cotidiano é retratada pelo olhar do Homem da Sacada, alter ego do autor, que observa a situação degradante mas também a poesia e o ritmo dos acontecimentos cotidianos, invisibilizados no mais das vezes: a dependência química, o abandono, a violência física e sexual, a falta de assistência e todas as nuanças das misérias do submundo.

“Convivi diariamente com um naipe humano maravilhoso, formado por pessoas vivendo um dia de cada vez. Aprendi a não julgar, mas ouvir, perguntar, ajudar. Ouvi seus cantos felizes e lamentosos, seus momentos de ira e medo, amores e desventuras. As pessoas passam todos os dias e noites naquela esquina e nem reparam. Mas as muralhas estão lá e querem se tornar bem visíveis”, comenta Edyr Augusto Proença, dramaturgo, jornalista, contista, cronista, romancista e poeta.

“Uma esquina do mundo. O mundo passa todo dia ali, mas não se presta atenção ao povo dali. Mas esse povo vê, muito bem. Eles não querem mais ser invisíveis. No espetáculo, eles contam suas vidas, alegrias e desventuras. E cobram atenção. Vidas que importam. Nunca mais o desdém, o desprezo, o abandono. Está na hora do invisível aparecer”, diz o diretor Paulo Santana.

Com um elenco potente que inclui atores e bailarinos, o musical conta com coreografias de Bboy Kekeu, expoente das danças urbanas de Belém e trilha sonora original de Pelé do Manifesto, um dos grandes nomes da cena de rap local, que também se apresenta ao vivo durante o espetáculo nos dias 1, 2 e 3 de setembro. A música tema da peça, “Muralhas Invisíveis” já está disponível e pode ser ouvida em todos os streamings.

O espetáculo tem classificação de 12 anos e no dia 3 de setembro, na sessão de 20h, contará com intérprete de libras para acessibilidade às pessoas com deficiência auditiva. O teatro é acessível a pessoas com deficiência física e idosos.

SERVIÇO

Espetáculo Muralhas Invisíveis

Dias 1, 2, 3, 8, 9 e 10 de setembro

Sextas às 20 horas, sábados e domingos às 18h e 20h

Teatro Waldemar Henrique – Praça da República, s/nº

Ingressos a R$20 na bilheteria do teatro, com abertura uma hora antes das sessões, ou via Pix com a produção do espetáculo

Mais informações:  98941 9117 e @teatropalha

A fiação aérea que polui e transtorna

Anterior

Familiares de vítimas em Brumadinho protestam na Exposibram

Próximo

Vocë pode gostar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *