Não houve o célebre círio fluvial de Oriximiná no rio Trombetas este ano, por causa da pandemia, mas a imagem de Santo Antônio flanou pelas águas, levada pela comunidade de várzea do Rio Cachoeiry, que celebrou o verão depois da…

Aprender mais sobre as boas práticas Lixo Zero e como aplicá-las no dia a dia, repensando hábitos de consumo e inspirando a população a enxergar os seus resíduos com dignidade é o que propõe a programação que acontecerá entre os…

Aprovado à unanimidade pela Assembleia Legislativa, o projeto de lei nº 245/2021, de autoria do Poder Executivo, dispondo sobre a denominação do Arquivo Público do Estado do Pará, em homenagem ao jurista e professor paraense Zeno Augusto de Bastos Veloso,…

Ontem duas famílias viveram momentos de terror, vítimas de assalto à mão armada por volta das 13 horas, durante passeio no Parque do Utinga, um dos lugares mais lindos de Belém e importante equipamento turístico parauara. Trata-se do oitavo roubo…

Multa pela repatriação será paga dia 30

Aportou ontem no Congresso Nacional a Medida Provisória 753/16, publicada em edição extra do Diário Oficial, para dividir com estados e municípios a arrecadação da multa da repatriação de ativos, autorizada pela Lei 13.254/16, que criou o Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária e gerou uma arrecadação de R$ 46,8 bilhões. A lei fixou multa de 15% sobre o valor do dinheiro movimentado. Parte do valor dessa multa será usada para compor os repasses de 21,5% de impostos federais (IPI e Imposto de Renda) ao Fundo de Participação dos Estados (FPE) com efeito imediato.
Os recursos também poderão ser usados, a partir de 1º de janeiro de 2017, para os repasses de 24,5% de impostos federais ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM). 
E para 3% previstos de repasse a programas de financiamento ao setor produtivo nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, sendo que  metade do total vai para o semiárido nordestino. 

A repartição dos recursos das multas com estados e municípios é parte de acordo feito com a União, como contrapartida pelo ajuste fiscal. A MP 753/16 será analisada por uma comissão mista de deputados e senadores. Depois, será votada nos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado. Mas a comissão mista deve ser instalada apenas a partir de 2 de fevereiro, quando os trabalhos legislativos serão retomados.

Já a coluna Radar On Line, da revista Veja, e a Famep – Federação das Associações de municípios do Pará, contrariando o que diz a MP 753, afirmam que, a pedido do ministro Helder Barbalho, o governo vai liberar a primeira parcela da repatriação às prefeituras no dia 30 de dezembro (e não no dia 1º de janeiro). Na prática, diz que isso atende aos interesses dos atuais prefeitos, que poderão realizar pagamentos de décimo-terceiro ou incluir a receita no orçamento de “restos a pagar”.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *