A juíza Sara Augusta Pereira de Oliveira Medeiros, titular da 3ª Vara Cível, Infância e Juventude, Órfãos, Interditos e Ausentes de Castanhal (PA) exarou uma sentença emblemática, em plena Semana da Pessoa com Deficiência: obrigou a Escola Professor Antônio Leite…

Observando que é irracional o deslocamento de grande quantidade de pacientes em busca de tratamento, o Ministério Público do Pará ajuizou Ação Civil Pública contra o Estado do Pará e o Município de Marabá, para a criação de Unidade de…

O governador Helder Barbalho sanciona hoje à noite, em cerimônia no auditório do Centur, o 'Vale Gás' e o 'Água Pará', destinados a famílias de baixa renda ou em situação de vulnerabilidade social. Ambos serão gerenciados e fiscalizados pela Secretaria…

Ciclistas liderados pelo grupo Pedal Mulher Nota 100, com apoio de alunos e voluntários da Universidade Federal do Pará e da Academia Paraense de Jornalismo, realizarão uma performance, nesta quinta-feira (23), das 8h às 10h, a fim de chamar a…

Multa para Curió

O ex-prefeito de Curionópolis, Sebastião Curió, foi condenado a pagar R$ 1,1 milhão por atos de improbidade administrativa entre 2001 e 2004, durante sua penúltima gestão. A decisão da Justiça Federal em Marabá, publicada ontem, suspende seus direitos políticos por 5 anos.
Curió foi cassado em 2008 e condenado por compra de votos e abuso do poder econômico. O juiz federal Carlos Henrique Haddad entendeu que houve enriquecimento ilícito de Curió, fraude em licitações e transgressão dos princípios da moralidade e legalidade na administração pública.
Foi o então vereador em Curionópolis Wenderson Chamon, hoje prefeito do município, quem denunciou Curió ao MPF, em 2004. As irregularidades foram praticadas principalmente com verbas do Fundef. Entre elas, contratação de empresas fantasmas, uso de notas fiscais falsas e processos licitatórios irregulares.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *