Vanete Oliveira, 28 anos, mãe de cinco filhos, vive em Portel, município do arquipélago do Marajó(PA). Ela sofre há catorze anos dores atrozes além do desconforto, trauma e todo tipo de dor física e psicológica, por conta de um tumor…

As Diretorias de Combate à Corrupção e de Polícia do Interior da Polícia Civil do Pará prenderam hoje (28), no Distrito Federal, durante a Operação "Litania”, uma falsa empresária e sócios-proprietários que utilizavam empresa de fachada como instituição financeira para…

A Secretaria de Estado da Fazenda do Pará publicou extrato de dispensa de licitação para contratar a Prodepa, por R$800.427,88, a fim de desenvolver novo site da Transparência do Governo do Pará, com criação de nova arquitetura de informação, navegação…

Andar de motocicleta proporciona histórias, experiências e adrenalina. Motos oferecem facilidade de locomoção rápida e de conseguir estacionamento. Mas a liberdade é, sem dúvida, o motivo número 1 de todo motociclista. Sentir o vento, o clima, fazer parte da paisagem. Este é…

Mulheres na política

O Amapá é exemplo para todo o Brasil de empoderamento feminino. Lá, dos 24 parlamentares estaduais, onze são mulheres. É muito acima da média nacional. Além poucas representantes, mulheres no Brasil não conseguem ter posição de comando na política. Na Câmara dos Deputados, elas representam apenas 55 das 514 cadeiras — em torno de 10,7% do total de deputados; no Senado, só 12 das 81 cadeiras são ocupadas por mulheres — 14, 8% do total de senadores. Em todos os Estados e no Distrito Federal, somente 114 deputadas estaduais foram eleitas em 2014. 

Existem muitos passos a serem dados para a efetivação da igualdade entre homens e mulheres, conforme preconizado na Constituição Federal. O Brasil ocupa a vergonhosa 115ª posição no ranking mundial de presença feminina no Parlamento dentre os 138 países analisados pelo Projeto Mulheres Inspiradoras (PMI). Os dados são do Banco Mundial (Bird) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Hoje, as deputadas estaduais do Amapá Edna Auzier e Cristina Almeida trocaram figurinhas sobre o fortalecimento do papel da mulher com a deputada paraense Cilene Couto, que faz a diferença, apesar do número reduzido da bancada feminina na Alepa (só três, e uma licenciada): ela era líder da bancada do PSDB e agora é a primeira vice-presidente da Casa.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *