Em iniciativa inédita, o Fórum de Entidades em Defesa do Patrimônio Cultural Brasileiro celebra os percursos individuais e coletivos que construíram as políticas de salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, lançando a obra “Em Defesa do Patrimônio Cultural”, organizado por…

Neste sábado, 16, postos de saúde ficarão abertos para a vacinação com foco em menores de 15 anos. Em Belém, 11 unidades vão funcionar das 8h às 14h. A campanha da Multivacinação iniciou no dia 04 de outubro e segue…

De autoria do carnavalesco e professor Paulo Anete, o enredo para o Carnaval 2022 da Escola de Samba Grêmio Recreativo Carnavalesco e Cultural Os Colibris, de Belém do Pará, é “Zélia Amada/ Zélia de Deus/ Zélia das Artes/ Herdeira de…

Batizada de sagui-de-Schneider (Mico schneideri), em homenagem ao pesquisador brasileiro Horácio Schneider (1948-2018), geneticista da Universidade Federal do Pará e pioneiro da filogenética molecular de primatas, a descoberta alvoroçou a comunidade científica internacional. A nova espécie de sagui amazônico do…

Mulheres na política

O Amapá é exemplo para todo o Brasil de empoderamento feminino. Lá, dos 24 parlamentares estaduais, onze são mulheres. É muito acima da média nacional. Além poucas representantes, mulheres no Brasil não conseguem ter posição de comando na política. Na Câmara dos Deputados, elas representam apenas 55 das 514 cadeiras — em torno de 10,7% do total de deputados; no Senado, só 12 das 81 cadeiras são ocupadas por mulheres — 14, 8% do total de senadores. Em todos os Estados e no Distrito Federal, somente 114 deputadas estaduais foram eleitas em 2014. 

Existem muitos passos a serem dados para a efetivação da igualdade entre homens e mulheres, conforme preconizado na Constituição Federal. O Brasil ocupa a vergonhosa 115ª posição no ranking mundial de presença feminina no Parlamento dentre os 138 países analisados pelo Projeto Mulheres Inspiradoras (PMI). Os dados são do Banco Mundial (Bird) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Hoje, as deputadas estaduais do Amapá Edna Auzier e Cristina Almeida trocaram figurinhas sobre o fortalecimento do papel da mulher com a deputada paraense Cilene Couto, que faz a diferença, apesar do número reduzido da bancada feminina na Alepa (só três, e uma licenciada): ela era líder da bancada do PSDB e agora é a primeira vice-presidente da Casa.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *