Em uma aula prática da Faculdade de Medicina da Unifamaz, ontem, o professor Marcus Vinícius Henriques de Brito, visivelmente impaciente com a aluna que deveria demonstrar intubação em um boneco, questionou a falta de lubrificação prévia do paciente, ao que…

Na quarta-feira passada, dia 24, a audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, em Brasília, era para discutir a gravíssima situação na Terra Indígena Yanomami, mas o clima de enfrentamento entre bolsonaristas e lulistas inviabilizou…

O prefeito Edmilson Rodrigues anunciou que Belém tem condições de fazer o Carnaval 2022, após reunião hoje (25) à tarde com representantes das escolas de samba e blocos carnavalescos. Ele acredita que com mais de 80% de pessoas vacinadas contra…

Em 17 de dezembro de 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas designou o 25 de novembro Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher. Passados 22 anos, os dados do 14° Anuário Brasileiro de Segurança Pública são aterrorizantes: por…

Mortandade de bebês na Santa Casa

Nos últimos 13 dias
foram registrados 25 óbitos de bebês prematuros, na UTI Neonatal da Fundação
Santa Casa de Misericórdia do Pará. O secretário de Estado de Saúde
Pública, Hélio Franco, convidou a imprensa e vai prestar esclarecimentos em
entrevista coletiva daqui a pouco, às 15 h, na sede da Sespa.

ATUALIZAÇÃO:A
presidente em exercício da Santa Casa, Cínthya Pires, e o secretário de Estado
de Saúde Pública, Hélio Franco, alegam que grande parte das parturientes tem
menos de 18 anos e não fez o pré-natal adequado, e que os recém-nascidos que
faleceram chegaram ao hospital em gravíssimo estado, devido a quadros
infecciosos, transportados de maneira inadequada, inclusive sem acompanhamento
médico e até sem oxigênio. Alguns deles morreram antes de completar 48 h de
vida.
Negando surto de infecção hospitalar, eles sustentam que tradicionalmente
em junho e julho aumenta a demanda de partos, e que, comparando com os cinco
primeiros meses do ano passado, a taxa de mortalidade é quase a mesma: 3,1% (em
2012) para 3,2% (em 2013). Entre as causas das mortes dos bebês na Santa Casa figuram
infecção por bactérias, síndrome genética, cardiopatia e gastrosquise
(intestino exposto), além da prematuridade dos recém-nascidos com baixo peso.
Em torno
de 800 mulheres são internadas por mês na Santa Casa. Em média, são 600
partos/mês (cerca de 20 por dia), mais de 86% de alto risco. Das pacientes
grávidas, 53% vêm do interior.
Cerca de 60% dos recém-nascidos têm baixo-peso (menos de 2,5 Kg).
O percentual de mães adolescentes que buscam a Santa Casa é superior a 24%.
 (Com informações da Ascom/Fundação Santa
Casa
).

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *