0

O muro e o portão do Palacete Pinho, datado de 1897 e símbolo da Belle Époque, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, localizado na rua Dr. Assis, na Cidade Velha, foi derrubado hoje (13) à tarde, provavelmente durante manobra de um caminhão em pleno centro histórico de Belém do Pará.

A Prefeitura, através da Fumbel, enviou imediatamente uma equipe técnica do Departamento de Patrimônio Histórico para avaliar os danos causados à edificação, para a tomada das medidas necessárias. A Secretaria Municipal de Urbanismo está providenciando tapumes para proteger o local e a Secretaria Municipal de Educação, que administra o palacete e vai restaurá-lo, acionou a polícia para identificar os responsáveis pelo sinistro.

O Palacete Pinho foi desapropriado pela Prefeitura de Belém em 1992 e começou a ser restaurado em 2003. Em 2004, cerca de 90% dos serviços já estavam feitos. Duciomar Costa assumiu e, em sua gestão, levou mais de cinco anos para concluir o restante, enquanto Belém se ressentia do funcionamento de espaços culturais. Finalmente inaugurado, até hoje o lindo prédio não teve destinação. Resultado: fechado, sem uso nem manutenção, está muito deteriorado.

Em meados de agosto deste ano a Semec foi designada administradora do imóvel e realizará o restauro no prédio, que será destinado a abrigar o Núcleo de Artes, Cultura e Educação (Nace). O orçamento para a restauração está em fase de elaboração.

O prédio é um marco da herança deixada pelo Ciclo da Borracha (1879-1945). O trânsito de caminhões pela área do Centro Histórico de Belém é proibido desde 2011, pelo Decreto Municipal nº 66.368/2011. Mas é comum veículos de carga trafegando pelas vias da Cidade Velha, o que deixa indignados os moradores, ativistas pela preservação do patrimônio histórico e cidadãos que amam a cidade.

Arapari e Banav fora e novas empresas para o Marajó

Anterior

TSE barrou 710 candidaturas a deputado federal e vai julgar mais 552

Próximo

Vocë pode gostar

Mais de Notícias

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *