Lançamentos literários, apresentações de teatro, oficinas voltadas para as culturas pop e japonesa, arrecadação de livros, atividades pedagógicas e lúdicas direcionadas ao público infantil, entre outras ações, estão no cardápio de cultura e arte servido aos visitantes do estande da…

O procurador do Ministério Público do Trabalho Sandoval Alves da Silva tomou posse na chefia da Procuradoria Regional do Trabalho da 8ª Região para o biênio de 2021-2023 enfatizando o papel decisivo do MPT na garantia dos direitos humanos. O…

Prevaleceu o bom senso e o cuidado com as pessoas. O prefeito Edmilson Rodrigues ouviu o secretário municipal de Saúde, Maurício Bezerra, e técnicos responsáveis pela vacinação e enfrentamento à Covid-19, e cancelou os desfiles das escolas de samba, blocos…

Começou hoje (27) às 8h e segue até às 17h a votação nas prévias do PSDB para escolher seu candidato à Presidência da República. O resultado, se tudo correr bem, deve ser anunciado às 20h. O partido passou a semana…

Mais uma ação contra Duciomar Costa

O MPE e o MPF ajuizaram
ação, hoje, pedindo decisão urgente do TJE-PA a fim de obrigar o prefeito de
Belém, Duciomar Costa(PTB), a regularizar os equipamentos dos prontos-socorros
e a pagar as dívidas que o município tem com a cooperativa dos
anestesiologistas, há mais de três meses em atraso. Também querem que a Justiça
obrigue a Coopanest a tomar todas as medidas necessárias para que os médicos
façam o  atendimento à população.
Não há monitores nem
desfibrilador em funcionamento nos PSMs, só existe um bisturi elétrico em
condições de uso, e, apesar de os prontos-socorros terem mais de uma sala de
cirurgia, não há sala de recuperação pós-operatória em funcionamento e os
aparelhos de ventilação estão descalibrados. A falta de infraestrutura torna
inviável a prática do ato anestésico, denunciaram os médicos.
O procurador regional dos
Direitos do Cidadão, Alan Rogério Mansur Silva, e a promotora de justiça Suely
Aguiar Cruz, da Promotoria de Direitos Constitucionais Fundamentais, Defesa do
Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa, pedem multas diárias de R$
100 mil para o município e para cooperativa em caso de descumprimento.
O procurador da República
Alan Mansur também encaminhou à secretária municipal de Saúde, Sylvia Santos,
recomendação para que providencie os pagamentos e transporte devidos pelo
município aos usuários do programa Tratamento Fora de Domicílio (TFD).  Se
não atender em 48 horas, ela será responsabilizada pessoalmente pelos prejuízos
provocados à população.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *