Um pastor de igreja evangélica localizada no município de Breves, no arquipélago do Marajó, foi condenado a 39 anos de prisão por estupro de vulnerável, exploração sexual e por possuir e armazenar pornografia infantil, com o agravante de que ele…

Acionado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, o Ministério Público Federal recomendou ao prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, medidas efetivas para que os responsáveis pelo edifício conhecido como Bloco B da Assembleia Paraense assegurem a manutenção emergencial do…

Na quarta-feira passada (22), operários e servidores ligados à execução da reforma e readequação do Palácio Cabanagem almoçaram com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Chicão, que preferiu essa forma de reunião para agradecer pelo compromisso com o trabalho e…

Nunca reclamem de barreiras de fiscalização no trânsito. Graças aos agentes do Detran-PA um homem vítima de sequestro foi resgatado ileso ontem à noite, por volta das 23h, na rodovia BR-316. Conforme relato do coordenador de Operações do Detran-PA, Ivan…

Magistrados em divergência

O
clima anda beligerante no TRT da 8ª Região, a exemplo do STF. É que o presidente
do Tribunal, desembargador federal do Trabalho José Maria Quadros de Alencar, propôs
a extinção do pecúlio para o qual contribuem servidores e magistrados, a
exemplo do que ocorreu com o FUNDAP.
Após
garantir o direito de manifestação dos servidores do Judiciário Federal através
do Mandado de Segurança nº 155-39.2012.5.08.0000, com liminar da desembargadora
Maria Valquíria Norat Coelho confirmada pelo Pleno do TRT8, ontem houve decisão
no sentido de ser constituída uma comissão para debater a situação, tomada após
o voto do desembargador Vicente José Malheiros da Fonseca, que se posicionou
contrário à extinção. Houve intenso debate entre os desembargadores. Até pra
definir se a advogada do Sindjuf PA/AP podia se manifestar na tribuna houve
discussão acirrada por tempo bem maior do que o regimentalmente disposto para a
intervenção, que é de 15 minutos.
Agora,
a questão é que não ficou claro se a assembleia do pecúlio será convocada pelo
tribunal ou pelo Sindicato e o prazo é exíguo: só 30 dias pra formar a
comissão.
Para entender o que está acontecendo, leiam aqui a
petição do Sindjuf PA/AP nos autos.

Compartilhar

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on vk
Share on tumblr
Share on pocket
Share on whatsapp
Share on email
Share on linkedin

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *